jusbrasil.com.br
24 de Setembro de 2017

STF recoloca Aécio Neves no Senado e no jogo político

Luiz Flávio Gomes, Professor de Direito do Ensino Superior
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 3 meses

O STF determinou a volta de Aécio Neves ao Senado e concedeu prisão domiciliar a Loures. As decisões do STF enfureceram a população.

STF recoloca Acio Neves no Senado e no jogo poltico

Nossa República corrupta é regida pela lógica de Esparta, onde os adolescentes eram treinados para surrupiar a coisa alheia e da estratégia ainda fazia parte a privação de alimentação. O roubo exitoso nunca era punido; punição dura havia somente quando o roubo resultava frustrado (por incompetência, inabilidade ou pouca astúcia).

O senador Aécio Neves (presidente afastado do PSDB) foi gravado (março/17) pedindo R$ 2 milhões para Joesley (JBS), que confirmou tratar-se de propina.

Sua irmã negociou a entrega do dinheiro, seu primo o recebeu e uma terceira pessoa o escondeu. Os três foram presos, localizando-se quatro malas contendo R$ 500 mil cada uma.

Trata-se, como se vê, de um caso de roubo exitoso (corrupção bem tramada, depois naufragada por causa das excepcionais gravações). Pela lógica de Esparta, seguida pelo STF, esse ato não pode ser censurado (ou condenado).

A prisão de Aécio Neves foi pedida pelo Procurador-Geral da República, mas em seguida rejeitada (em virtude do privilégio da não flagrância). Seu afastamento do Senado (decretado por Fachin) foi revogado pelo ministro Marco Aurélio (que disse que um poder não pode interferir no outro).

Trata-se, ademais, diz a decisão do ministro, de um político com “fortes elos com o Brasil, que tem carreira política elogiável”.

Nas cleptocracias (governo dominado por ladrões), os larápios poderosos e exitosos são tratados de maneira desigual e privilegiada. Mesmo corruptos, são sempre elogiados e acobertados.

Mais: ele sempre discursou contra a corrupção (claro que cinicamente) e recebeu mais de 51 milhões de votos em 2014. É, portanto, uma grande liderança na República da corrupção, das máfias.

Mesmo afastado do Senado e do comando do PSDB, ficou na surdina tramando com seus comparsas seu retorno ao Parlamento e à política. Afinal, mostrou competência no momento do roubo.

Seguindo-se a lógica de Esparta (nunca o roubo exitoso é condenado), sua irmã e seu primo saíram da cadeia fechada. Gilmar Mendes, que nas horas vagas trabalha como seu auxiliar de recados a outros senadores, foi sorteado para relatar um dos novos inquéritos de corrupção contra Aécio Neves.

O Conselho de Ética do Senado rejeitou o pedido de sua cassação (por falta de provas, disse o senador João Alberto Souza – PMDB-MA -, que é figurinha carimbada em matéria de proteção corporativa).

Alexandre de Moraes foi sorteado para relatar outro inquérito (propina na construção da sede administrativa em MG). Vindo do PSDB, recebia ordens e bênçãos do seu protetor, Aécio Neves.

Nem Gilmar nem Alexandre dão sinais de que vão se declarar suspeitos. Consoante a lógica de Esparta, todo ladrão bem-sucedido no ato do roubo não merece punição.

Só resta agora ao PSDB indicar Aécio Neves para a eleição presidencial de 2018. Na República das Máfias tudo isso é possível. Resta saber se o eleitor vai concordar com esse descalabro ético ou se vai faxinar todos os corruptos.

LUIZ FLÁVIO GOMES, jurista. Criador do movimento #QueroUmBrasilÉtico. Estou no f/luizflaviogomesoficial

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O Ministro Marco Aurélio (apesar de concordar no mérito) agiu de forma no mínimo contraditória. Ora, mandou (decisão singular) afastar o senador Renan que na época era Presidente do Senado, agora vem com esta decisão, ainda com fundamentações que vão além da impessoalidade?

No mínimo estranho e contraditório! Ora, o senador Renan também foi recebeu votos, não obstante em se tratando de senado o número de votos não importa muito, pois eles representam os Estados (densidade eleitoral variável). O número de votos importa mais no executivo ou na câmara. continuar lendo

O Ministro Marco Aurélio Mello é aquele que sempre vota contra a sociedade, pensando que com isso demonstra isenção. Ora, nada mais equivocado. O que demonstra o ministro é ceder à pressões advindas da classe política corrupta. Chega a ser patético os elogios que fez ao senador, por ocasião de sua liberação.

A esse propósito, o Ministro Luiz Fux deu uma declaração, a meu ver, lapidar no julgamento da chapa Dilma/Temer no TSE. Disse ele: o juiz não deve julgar desligado da realidade que o cerca. Assino embaixo, porque juiz não é um ser alienado em relação acontecimentos gravíssimos que se sucedem na sociedade em que está inserido.

De toda sorte, Aécio está causando constrangimento às bases de seu partido – PSDB - o qual, inclusive, deveria mudar o símbolo de “tucano” para “coruja”, porque além de trocar o poleiro pelo muro, seus caciques demonstram preferir atuarem na calada da noite a fim de salvarem um membro cujo comportamento, no mínimo hipócrita, já está mais do que exposto à luz do dia. continuar lendo

o sistema aqui protege os dados professor? então eu te falo - soltar um para soltar...TODOS , pensem continuar lendo