jusbrasil.com.br
24 de Setembro de 2017

“Nós não vai ser preso”, disse Joesley Batista

Luiz Flávio Gomes, Professor de Direito do Ensino Superior
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 13 dias

Joesley assassinou a língua portuguesa (“nós não vai”) e se mostrou ruim em previsões. Já está na cadeia (em prisão temporária, de cinco dias, por ora). Ele e o executivo Saud. Por enquanto não há prisão contra o ex-procurador da República Marcello Miller.

A controvertida delação de Joesley deixou de ser um enigmático jogo de xadrez. Na verdade, é o xadrez que entrou no jogo, testemunhando o choro de Joesley.

Nas cleptocracias parasitárias as elites dirigentes que governam a nação (empresariais, financeiras e políticas) praticam o abominável capitalismo bandido (de compadres, de laços, de amigos). Nesse tipo de capitalismo, o deplorável poder do dinheiro (frequentemente) corrompe o humano. A corrupção, em seguida, corrompe seu cérebro (aniquilando as antenas éticas das amigdalas cerebrais).

Resultado de imagem para joesley batista

Joesley voou muito alto. Esqueceu-se da advertência de Dédalo, pai de Ícaro. Se sentiu o dono absoluto da cleptocracia brasileira. Achou que nunca seria preso. Comprou o Executivo e o Legislativo (deu propinas para mais de 1800 políticos eleitos).

Grampeou Temer e Aécio Neves, colocando em cena safadagens e delitos que normalmente ficariam “ob scenum” (fora de cena).

Conseguiu de Janot sua imunidade penal, zarpou para Nova York como vencedor e achou que um dia poderia chantagear inclusive os ministros do STF (via ex-ministro da Justiça). Muita arrogância, muita soberba. Voou alto demais e se danou. O rei da carne está virando picadinho.

Sua delação será profundamente revisada. É provável (e desejável) que passe um bom tempo na cadeia (espera-se). Mas as provas validamente colhidas serão aproveitadas, incluindo os áudios escabrosos de Temer e Aécio (que estão dentro da jurisprudência do STF).

Ícaro e seu pai Dédalo (que era arquiteto) estavam refugiados em Creta, junto ao rei Minos. Depois do nascimento do seu filho Minotauro (corpo de homem e cabeça de touro), foi construído um labirinto para aprisioná-lo. Ele acabou sendo morto por Teseu (veja Wikipedia); Ícaro e Dédalo ficaram presos no labirinto. Este, para reconquistar a liberdade, construiu asas artificiais, usando cera do mel de abelhas e penas de gaivotas. Antes da fuga, o pai alertou o filho de que não podia voar perto do Sol, porque ele derreteria a cera das asas coladas ao seu corpo; nem muito perto do mar porque, se tocasse suas águas, suas asas ficariam muito pesadas. Ícaro não ouviu os conselhos do pai e, tomado pelo desejo de voar próximo ao Sol; o calor fez com que perdesse as asas e despencasse no mar Egeu, enquanto seu pai, aos prantos, voava para a costa. Moral da história mitológica: Ícaro pode voar alto, talvez até consiga atingir alturas impensáveis, mas não pode atingir o cume, o topo, ou seja, o Sol.

Joesley atingiu o Sol chamado STF, que em matéria de corrupção lenientemente mais atende os interesses das oligarquias dominantes que os da cidadania. O retorno de Aécio ao Senado foi uma vergonha absurda. A manutenção de Renan calheiros na presidência do Senado (7/12/16) não deixou nada a dever.

Mas desde a prisão de Delcídio foi criado o precedente: o risco é muito grande quando a bandidagem faz bravatas ou insinuações com os ministros do STF.

Fachim foi pressionado por alguns colegas. Fux chegou a falar em “exílio na Papuda”. Abominável antecipação de voto, conforme a escolinha do Gilmar. Cármen Lúcia reprovou a tentativa de chantagem da Corte. O STF é um tribunal reativo. Quando alguém mexe com seus brios, lá vem prisão. Fora disso, o gigante dorme em berço esplêndido. Desde 1/8/17 o pedido de prisão de Aécio Neves está parado. E o homem diz que vai se candidatar para o Senado, novamente. Só numa cleptocracia degenerada isso acontece.

“O mundo é um lugar perigoso para se viver, não [só] por causa daqueles que fazem o mal, mas por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer” (Albert Einstein).

Joesley foi encarcerado. Preponderou o império da lei. Isso, num país de costumes frouxos, é ponto fora da curva. Resta ainda recuperar o dinheiro roubado da população.

51 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Grande artigo! O que mais chama a atenção é a crítica perfeita ao STF no que concerne à leniência com a corrupção manifesta de altas figuras da República. Joesley e Saud são apenas bravateiros. O primeiro, como se nota, absolutamente despreparado. Agora "nós vai ver" os dois dançarem o miudinho. continuar lendo

Sinto imensamente em contradize-lo, mas em poucos dias estará "usando tornozeleira" em seu palácio com o séquito de escravos a abanar-lhe.

Obs.´. "usando tornozeleira" entre aspas porque é sabido que ela necessita de um tornozelo, mas dai a ser do réu a uma distância intergaláctica. continuar lendo

Ao meu sentir, a prisão dos delatores demonstra que de regra a corda arrebenta no lado mais fraco, ou seja, nos laranjas do dinheiro do BNDES que serviu para criar artificialmente bilionários sem criar riqueza no sentido de valor econômico, e também que mexer no nome de Ministro do STF é pena capital mais que no dinheiro do povo. Não vejo que estamos aprendendo muita coisa, não se fala em mudar a lei de licitação para o modelo de Performance Bond como nos países da OCDE para evitar novas roubalheiras e, pior, não vejo moralmente os servidores do Judiciário e MP fazerem um mea culpa em ter deixado tanto tempo sem fiscalização e punição indivíduos tão espúrios que ocupam até cargos públicos sem o menor constrangimento e a DURA LEX SEDE LEX é só para os pobres e sem pistolões. continuar lendo

Fiscalização não compete ao Judiciário. É ver a Constituição para saber. continuar lendo

Será que não teria um curso de português para esse praticante assíduo do Lulês , em todos os sentidos é obvio, cursar enquanto esta de ferias na cadeia ?, mas vejam bem, tem que ser um curso rápido,, pois o ilustrado presidiário, tem muito dinheiro, e a nossa justa justiça desse pais , não é muito conivente em manter pessoas de posses presas, não é mesmo ? continuar lendo

É impossível aprender o Português em tão curto espaço de tempo. Seria desperdiçar recursos. continuar lendo

Será que somente ele precisa de curso? Vejamos:

Será que não teria um curso de português para esse praticante assíduo do Lulês ? (falta ponto de interrogação e o "Lulês" teria que estar entre aspas), em todos os sentidos é obvio (falta acento), cursar enquanto esta (falta acento) de ferias (falta acento) na cadeia ? Mas vejam bem, tem que ser um curso rápido, pois o ilustrado presidiário, tem muito dinheiro, e a nossa justa justiça desse pais (a nossa justa justiça bastava, não precisava dizer desse país) , não é muito conivente em manter pessoas de posses presas, não é mesmo ?
Palavras escritas sem o devido acento:
Obvio, esta, férias, e país.
Vamos todos aprender o português. continuar lendo

Critique quem o critica. Acuse quem o acusa. Corrija quem o corrige.
Será que errei em alguma coisa ? Mas não fui eu quem começou. continuar lendo

Foi corrigir a língua portuguêsa e a maltratou mais ainda.
Bem feito "Coxinha Juramentado". continuar lendo

Perda definitiva dos direitos políticos a todos envolvidos em corrupção, com confisco do passaporte e todos os bens.

Será que passa, legislativo? continuar lendo

Isto seria cassação, logo inconstitucional.

In verbis:
"Art. 15. É vedada a cassação de direitos políticos, cuja perda ou suspensão só se dará nos casos de:
(...)

E não sei se seria possível uma PEC, pois acho que seria clausula pétrea. continuar lendo

Claro que não, meu caro! continuar lendo

Weslei

Com certeza o inconstitucional pode ser mudado, uma vez alterada a constituição.
Mas não penso em uma PEC e sim em uma ampla reforma constitucional, desta vez, sem a conveniência dos senhores legisladores tão nossos conhecidos.
Uma participação mais ampla de todos os segmentos. Uma constituição que realmente representasse o espírito democrático e republicano que desejamos.
Mas reconheço a proximidade com a utopia. continuar lendo

Senhor José,

Caso seja cláusula pétrea o (art. 15 da CF) teríamos que tirar o Poder Constituinte Originário do estado de latência, pois o Poder Constituinte Derivado não tem poder para alterar a constituição neste caso.

Enfim, não acho viável um assembleia constituinte no momento e discordo da cassação, pois remete a ditadura. Todavia, respeitaria, caso o Poder Constituinte Originário em um Assembleia Constituinte decidisse por tal positivação. continuar lendo

Eu já vejo como bem-vinda uma assembléia constituinte nesse momento.
Mais que isso. Necessária, Weslei.
Mas respeito seu ponto de vista. continuar lendo

Se assaltam os bens públicos, se usufruem do que não lhes pertence, saúde, remédios, transportes, moradia, todas essas contrapartidas dos impostos do povo, garantidos para o povo na tal da constituição, mas, subtraído do povo e, soberbamente entregue aos políticos profissionais do país, ministros da administração e a da desconhecida justiça, temos uma total inversão de direitos sob o patrocínio da edícula do congresso, o STF, onde seus criados cegos, surdos com bocas grades e gargantas ferozes, patrocinam desde sempre a corrupção e o escárnio ao dinheiro público, aos bens públicos, aos valores nacionais, assim, perder o que não têm direito, ao que nunca tiveram, mas, impuseram à conta aos pagadores de impostos, seria pouco. Por traição ao povo, e por perpetuar essa mazela, por usufruírem do que não lhes pertence, criando formas de desvio de dinheiro público, lavando dinheiro público e, descaradamente, com seus amiguinhos de empreitadas, extorquindo-os por serem eles a lhes favorecerem seus crimes, punidos como traidores que são da pátria e, com patrocínio do STF (nada mais justo que acompanhem seus patrões), sugestões não faltam, mas, como sabemos que guerrilheiros e aspirantes a guerrilha, avessos ao cárcere, criaram atalhos ao cárcere na tal da constituição, o "paredon bolivariano" lhes cairiam bem. Ao menos, estariam garantidos seus direitos políticos, os de serem políticos profissionais, parasitas da pátria ou saqueadores da pátria, sejam lá a serventia que têm às suas facções, com seus membros ocupando a terceira fileira, segunda fileira devem ser respeitados os assessores e suplentes dados aos mesmos gostos. Os que sobrarem, teriam mais cuidado com o que não lhes pertence e, com toda certeza, pensariam duas vezes antes de destruírem um país e, de imediato, optariam pelo cárcere em casos de desvios maus sucedidos. continuar lendo