jusbrasil.com.br
1 de Abril de 2020

Michel Temer e sua morte súbita política (alto risco)

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 4 anos

Michel Temer e sua morte sbita poltica alto risco

O Senado está consumando o impeachment de Dilma (que conviveu com a corrupção lulopetista); o STF já afastou Cunha do cargo de deputado e os senadores estão cassando o senador Delcídio; a Câmara em breve deverá cassar o criador da empresa jesus. Com, mandando-o para a jurisdição penal de Curitiba; deverá ainda defenestrar o espalhafatoso presidente interino – Waldir Maranhão -, que já revogou sua decisão de cassar o impeachment; Renan está na linha de tiro do STF (onde há 1.200 dias vergonhosamente tramita sua denúncia) e Michel Temer está assumindo a presidência da República com altíssimo risco de não terminar seu mandato. Isso é mau agouro? Não, é puro realismo.

É mais do que previsível que possa acontecer a morte política súbita de Temer, em qualquer momento. Tanto por atos do presente como pela delinquência do passado. Nesse sentido há fortíssima cotação na bolsa de mercadorias fadigadas e de futuros. A Lava Jato não lhe dará trégua. José Antunes Sobrinho, dono da Engevix, em delação que lhe deu o regime domiciliar a partir de hoje, conversou pessoalmente com Temer (em SP) duas vezes e combinaram a propina de R$ 1 milhão. O dinheiro foi entregue a um mensageiro de Temer e não foi declarado para a Justiça Eleitoral. Leia-se: dinheiro dado “por fora”, no caixa 2 (que é crime).

Ulysses Guimarães disse na Constituinte: “O princípio inaugural da República é não roubar, não deixar roubar e colocar na cadeia quem rouba”. Temer começara tudo errado se nomear como ministro alguém que esteja sob investigação criminal, particularmente na Lava Jato (caso de Romero Jucá, por exemplo). Outros erros crassos: não reduzir expressivamente a quantidade de ministérios, nomear gente desqualificada para o cargo de ministro, entregar a Ciência e Tecnologia para religiosos fanáticos (erro anti-darwiniano) e tomar medidas econômicas que agravem o sofrimento da população (especialmente as não-proprietárias).

Os brasileiros estamos cobrando energicamente de Michel Temer, o primeiro presidente oficialmente ficha-suja da História (até que a decisao do TRE-SP não seja, porventura, reformada), que cumpra a advertência de Ulysses com todo empenho. No TSE foi postulada a análise separada das contas dos dois partidos (PMDB e PT). Isso não é permitido pela jurisprudência dessa Corte (já há parecer do Procurador Eleitoral Nicolau Dino nesse sentido). Diante das provas, o TSE não terá como não cassar a chapa Dilma-Temer em razão da campanha flagrantemente criminosa de 2014 (ver ainda delações de Delcídio, Gutierrez, Mônica Moura, Pepper etc.).

Mas mesmo que fossem separadas as contas, seria inevitável a cassação do mandato de Temer. Suas contas são também um escândalo. João Henriques e Vitor Delphim eram os operadores de propinas do PMDB em vários esquemas (Petrobras, setor de energia, Unidades de Pronto Atendimento, Belo Monte etc.) (ver Estadão, Fausto Macedo). Dessa dupla estão saindo fatos escabrosos que podem derrubar o PMDB por umas dez gerações.

Pela primeira vez um presidente da República assume o poder com uma sociedade civil irada e mobilizada (nas ruas e nas redes sociais) contra a corrupção. Mais: empoderada (diante do impeachment da Dilma). A tolerância com o governo Temer, portanto, será zero (inclusive pelas circunstâncias polêmicas da sua posse). Será difícil passar em branco doravante qualquer deslize do gestor público. O velho modelo de administração do país – fisiológico, nepotista e corrupto – tornou-se absolutamente intolerável. Ninguém mais suporta as roubalheiras e as pilhagens das oligarquias dominantes (públicas e privadas). Os brasileiros desejam que os governantes digam um não enérgico aos que pretendem continuar sua farra obscena e indecente na divisão patrimonialista do erário. Temer tem que adotar a política da tolerância zero contra a corrupção, ou pagará caríssimo por essa omissão.

O jeito antigo de fazer política está ultrapassado. Ninguém mais suporta o Estado licencioso (imoral, descumpridor das regras, depravado). A juventude digitalizada está atenta aos seus desmandos e falcatruas. Chegou o fim da preponderância dos interesses privados dentro do Estado. Transparência absoluta é o presente e o futuro da gestão pública. O toma lá, dá cá, que só faz lambanças com o dinheiro público, está na marca do pênalti. A má gestão pública assim como a má gestão privada coligada com a coisa pública está mandando seus agentes para casa ou para a cadeia. Como dizia Maquiavel (O Príncipe), existem algumas classes de homens (leia-se: de oligarquias) que são “infames e detestáveis, que destroem religiões, que dissipam reinos e repúblicas, que são inimigos das virtù, das letras e de qualquer outra arte que confira utilidade e honra à espécie humana”. Deles temos que nos livrar urgentemente (por impeachment, afastamento, cassação, condenação criminal ou morte política súbita).

90 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Concordo com boa parte da reflexão. Porém, discordo parcialmente em alguns pontos. Talvez a palavra correta nem seria discordar, mas analisar sob outra ótica.

Primeiro, que infelizmente penso que a sociedade brasileira (assim como os que nos representam) é conivente com determinadas corrupções, "em prol de um bem maior". Vários petistas o foram em relação ao projeto colcoado. Mas também vários dos que protestaram desde junho/2013 foram e são coniventes com atitudes de Eduardo Cunha, Aécio Neves, Renan Calheiros, Romero Jucá e do próprio Michel Temer, que estão atolados até o pescoço em denúncias de corrupção (vide as diversas delações da Lava Jato, a lista da Panamá Papers e a operação Zelotes). E a sociedade a tudo aplaude, quando o objetivo é tirar a presidente Dilma do poder, seja a que custo for. Independentemente de sua (in) competência/(in) habilidade políticas, isso não é justificativa pra tirá-la do poder. Sobretudo considerando que ela é uma das pouquíssimas pessoas que não é sequer acusada de corrupção. (E acredite, se tivesse qualquer pontinha de suspeita, ela já teria caído há muito tempo!)

Segundo, e de forma a evidenciar o argumento anterior, eu DUVIDO!! que Eduardo Cunha seja cassado. Com essa Câmara dos Deputados, cuja metade, aproximadamente, foi eleita graças a ele (que conseguiu grana para financiar suas campanhas), e que, ao que se comenta (vide matéria intitulada "Eduardo Cunha com a faca nos dentes", de 08/5/2016, no http://www.blogdogarotinho.com.br/), tem como delatar diversas personalidades poderosas, inclusive ministros do STF, acho pouquíssimo, quase nada provável que venha a ser cassado ou preso. Se o for, como disse Sílvio Costa, ela fará a maior delação premiada que este país já viu!

Terceiro, que é um tanto quanto forçoso esperar uma nova forma de governar vinda do PMDB, que é a maior agremiação formada por oligarquias no país. Esperar um governo diferente, com um novo modelo de gestão, a partir das figuras que estão colocadas (ao que se diz, os ministros mais "modernos" cotados são uma espécie de recauchutagem das mesmas figuras dos governos FHC, que se destacaram nos anos 90!!!) é esperar que da pedra saia leite.

Quarto, e talvez o principal! JAMAIS Michel Temer vai COMBATER A CORRUPÇÃO. Pelo contrário!! Ele vai combater a operação Lava-Jato e qualquer tentativa de enquadrar a turma! Isso é evidente. O ódio de Cunha a Dilma não foi por outra razão, senão por ter "permitido" o combate à corrupção. A operação Lava-Jato chegou a gente acostumada à rapinagem há anos, diria décadas! E não por outro motivo a reação desproporcional à gestão de Dilma, por mais péssima que tenha sido.
Ou seja, ele é, a bem da verdade, a esperança de não se tocar nos cleptocratas da elite. Enquanto forem os petistas e seus aliados, tudo bem. Mas encostar nessa gente, aí é fria!!

Portanto, concordo que o governo Temer tem tudo pra ser nada. A morte súbita dele já se deu no momento em que topou ser o representante e porta-voz da elite cleptocrata, canalizando a chegada ao poder no encerramento de investigações e do combate à corrupção, sobretudo tendo como principal aliado e figura de relacionamento íntimo Eduardo Cunha. Ao que tudo indica, ele é a única esperança de novamente se esconder a corrupção, ou, a la FHC (citado por Ciro Gomes - https://www.youtube.com/watch?v=G0buv4xrKFw), a esperança de, escancarada e disfarçadamente, "conciliar com o patrimonialismo".

No fim das contas, possivelmente veremos que o governo Temer seja o bode na sala... do planalto. continuar lendo

Caro Luciano, felicito-o por sua brilhante indagação, coaduna com a sua fala. continuar lendo

Parabéns pela correta visão da política brasileira, que todos tivessem esta mesma inteligencia e percepção!! continuar lendo

Perfeito a não ser pelo fato de que a presidente é parte de todo esse sistema corrupto embora tenha tentado se manter isenta para dar cobertura pelo poder, o que não conseguiu.
Que caiam todos, que todos sejam desmascarados e punidos e que independente de partidarismos tenhamos honradez e dignidade no poder. continuar lendo

Brilhante sua explanação, parabéns!!! continuar lendo

Sua reflexão é perfeita, Luciano. continuar lendo

Concordo com boa parte do texto, chega a ser brilhante em algumas colocações mas peca de morte por defender Dilma, ela não é coadjuvante dos esquemas de corrupção e pilantragem do PT, ela é atriz principal. Não está para brincadeira como não estava na época de guerrilheira quando pegou em armas para defender a odiosa causa comunista e a tentativa de golpe comunista no Brasil; cito: Aprovou a negociata de Passadena para formar caixa ao ParTido, fez vista grossa e manobrou para que assaltassem a Petrobrás, trapaceou, fraudou, roubou e mentiu descaradamente para se reeleger em 2014, agora no seu atual mandato manobra com a indicação de ministros implicados na lava-jato para protegê-los do juiz Moro, indica Ministros "vermelhos" ou simpáticos à causa PeTista para o STJ e STF para tentar livrar camaradas corruptos e corruptores e, em ultimo caso melar a Lava-jato no tapetão e edita decretos e medidas provisórias de forma a beneficiar os seus patrocinadores, vide medida provisória que esta em votação que altera os termos dos acordos de leniência para as empresas pilhadoras do patrimônio nacional dando-lhes perdão pelos crimes praticados apenas com um pedido de desculpas, mas sequer sem tem admitir que roubou ou fraudou, e uma multinha camarada e está apta a roubar de novo e trapacear nas licitações e propinar de novo e eleger lacaios para os mais diversos cargos do legislativo e executivo.

Ladra, desonesta, fraudadora, mentirosa, vendida e pilantra. Eu não compraria um carro usado desta senhora, você compraria? continuar lendo

Caro Luciano, concordo plenamente com a sua brilhante explanação.
Pena que os brasileiros não pensam e não enxergam o problema com este olhar.... continuar lendo

Excelente reflexão, Luciano. Leio poucas apreciações como a tua aqui na Jus e não entendo o que tem acontecido com o público que aqui frequenta. Mesmo. continuar lendo

Verdades...
O pior cego é aquele que não quer ver... continuar lendo

Sábia colocação, parabéns! continuar lendo

Esse senhor Luciano deve ter prova de alguma coisa que diz, ou então é igualzinho esses cidadãos que, munidos do direito que a constituição lhes dá, fica apenas nas bravatas que a Rede Globo espalha e somente engana os que querem ser enganados.
Senhor Luciano, como não consegue perceber, sinto lhe dizer que quem não enxerga, na realidade, é o senhor.
A sociedade não é conveniente com determinadas corrupções, ela é induzida, e o senhor está fazendo o jogo de quem quer isso.
Por certo estou perdendo meu tempo, mas o que li (e com mais que certeza perdi meu tempo em fazê-lo), tanto de seu comentário quanto desse político travestido de jurista, me faz ter a convicção que a democracia deveria servir para quem é minoria também, mas não serve pois o poder do dinheiro é mais forte que ela. continuar lendo

Ótimo! Parabéns! continuar lendo

Caríssimo, Luciano. Comungo na mesma opinião! Belas e certas palavras.. continuar lendo

Passaram-se 5 anos, o PMDB nunca prestou algum projeto para o país, apenas levou a crise econômica hoje vista. As pautas bombas do Cunha, as não aprovações dos projetos da presidente, a campanha para tirá-la do governo, aliados a uma oposição hipocritamente, covarde, perdedora e fascistas, instalado no congresso nacional. Aliados, ainda a FIESP/Globo/classe empresarial, destruíram o país.
É hoje tomam o poder e se dizem com a solução? Fica provado que tudo vale pelo poder, como disse Bolsonaro, nesse jogo do poder, tudo vale. Ainda ratifica o Paulinho da força, tem muita gente investindo nesse golpe.
Vemos hoje, nossas instituições falidas, desacreditadas, estamos caminhando para uma barbárie social, nosso país sofrerá por pelo menos uns 20 anos as consequências desse golpe institucional.
O gigante adormeceu outra vez, e ninguém sabe quando despertara. continuar lendo

Engraçado: os três principais agentes da economia (Banco Central, COPOM e Ministério da Fazenda – também conhecida como “santíssima trindade”) são controlados EXCLUSIVAMENTE pelo executivo. As políticas monetárias, tal como sua coordenação, partem do executivo (sem nenhum dedo do legislativo, judiciário ou do PMDB).

Quem surfou na onda das commodities foi o executivo.

Quem estimulou o consumo através de crédito bancário e endividou a população foi o executivo.

Quem maquiou as condições econômicas (e também sociais) no Brasil foi o executivo.

Quem não soube segurar os recursos estrangeiros decorrentes da crise econômica de 2008 foi o executivo.

Quem aumentou a divida interna foi o executivo.

Quem inchou a maquina pública foi o executivo.

Quem preferiu defender o status quo da corrupção e do fisiologismo e institucionaliza-lo foi o executivo.

E quem prefere escutar “paladinos da verdade” como PHA, Sakamoto, Mino Carta, Altamiro Borges, Miguel do Rosário, Luis Nassif, assim como “economistas” como Tico Santa-Cruz, ao invés de analistas de mercado e economistas – de verdade – que se prezam, foi o executivo e os petistas – além de sua enorme massa de manobra. Preferem os cuspes das lhamas petistas ao invés do diálogo racional de quem tem a acrescentar ao país (fora a voz do povo)...

É mais fácil culpar o PMDB, FIESP, Globo, “classe empresarial” (quem? Os empreiteiros e banqueiros, que lucraram como nunca com o PT?), o FBI, a CIA, o Exército Branco, os “inimigos do povo”, a Klu Klux Klan, os marcianos... do que os verdadeiros culpados: o PT, petistas e seus defensores, simpatizantes e linhas auxiliares.

O único projeto capitaneado pelo PT é o de poder. Poder pelo poder: só isto!!! Assim usufruem de tudo o que o poder pode promover, tal como todo governo marxista faz ou fez no mundo inteiro. E aqui até dou um crédito aos marxistas de plantão: usam o marxismo como meio de alcançar o poder e depois se manter nele (sim, estão te usando, marxistas!). Na América Latina (com exceção de Cuba) pelas vias democráticas e depois autoritárias, e no restante do mundo via golpe... digo, “revolução”, que sempre estaciona no socialismo (hum... controle dos meios de produção, economia planificada e estado grande com poder irrestrito... porque será, né?).

Mas vão lá, “trabalhadores”, fazer “manifestação” queimando pneus no horário de trabalho (afinal, não trabalham...) com intuito de prejudicar a vida da população “burguesa” que não vive nem de perto a mesma vida nababesca das lideranças do PT e partidos da linha auxiliar.

Abraços! continuar lendo

Um governo honesto não se sustentará sem um parlamento de igual virtude. Eis aí a dificuldade. continuar lendo

Quem será honesto nesse parlamento! Difícil saber. continuar lendo

Tudo isto é possível, mas na minha opinião é um sonho que não vai se realizar.
Quando o Temer assumir a Lava Jato desaparece do cenário, o Temer vai continuar impune, assim como o Renan, Romério e outros.
Os objetivos da Lava Jato e da oposição já foram alcançados, depor a Dilma e desmoralizar a esquerda através da desconstrução do PT.
O maior e último objetivo é privatizar a Petrobrás, que esta muito próximo de ocorrer.
Acredito que aqueles que se mobilizaram contra a corrupção vão ficar satisfeitos com o impedimento da presidente, a mobilização para por aí.
Agora a esquerda volta a ser o que era, ou seja, sem expressão.
O Brasil regride economicamente e socialmente 20 anos, para antes da era FHC e Lula.
Tudo fica como as Oligarquias Financeira e Petrolera Internacional querem e vamos levando a vida num país do futuro., acreditando em tudo que os meios de comunicação das familias Marinho, Mesquitas e outras poderosas publicam.
Temos que dar os parabens aos lideres dos movimentos pró impedimento, (ou corrupção???) grande vitória.(será que foi???) continuar lendo

Eu acredito que a sua previsão está errada. Espero que eu esteja certo.
Um grande abraço! continuar lendo

Infelizmente eu tenho que concordar com teu prognóstico;é só observar nossa história política brasileira... continuar lendo