jusbrasil.com.br
6 de Maio de 2021

Delação de Delcídio “leva” Lula à cadeia? “Tira” a Dilma da Presidência?

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 5 anos

Delao de Delcdio leva Lula cadeia Tira a Dilma da Presidncia

Delcídio disse “não reconhecer” o teor da delação divulgada pela IstoÉ. Nem confirmou nem negou seu conteúdo. Claro. Nele há uma cláusula de silêncio total por seis meses. O ministro Teori Zavascki não teria concordado com ela. Daí a não homologação do acordo. Nesse ínterim o documento vazou. E ainda não teria vazado tudo. Haveria mais bombas na delação (envolvendo mais políticos – como Renan -, mais partidos e inclusive a mídia grande).

A rede Globo diz que, pelas suas fontes, a delação é verídica. Na máfia há uma regra fundamental: só pode haver um grande segredo entre três pessoas quando duas estão mortas. O vazamento não é motivo legal para não homologar a delação. A execração pública das autoridades políticas acontece no Brasil desde 1822. O tempo da mídia é distinto do tempo da Justiça. Mais: pela CF, a mídia não precisa informar suas fontes.

Se tudo que foi delatado for confirmado e provado, Lula pode responder e ser condenado por crimes gravíssimos (corrupções de milhões, obstrução da Justiça, tráfico de influências, várias “compras de silêncio” – de Cerveró, Marcos Valério – que teria pedido R$ 200 milhões -, Senadores, Deputados etc.). São crimes de alta octanagem (diz a IstoÉ).

Lula teria ainda influenciado e feito arquivar “sem resultado algum” várias CPIs (o que não é nenhuma novidade na Nova República, ou melhor, na República Velhaca). Também a CPI da “compra da emenda constitucional permitindo a reeleição”, do tempo dos tucanos, teria sido “arquivada” nebulosamente.

Lula pode ser preso? Em outros tempos (antes de 2012), diante da tradicional Justiça neocolonialista, jamais isso ocorreria. Com a Lava Jato tornou-se possível, aliás, previsível. Durante 512 anos, a prisão preventiva (na prática) só recaía (salvo raríssimas exceções) sobre os súditos não proprietários (particularmente de cor negra ou parda).

Depois da “morolização” da Justiça criminal, o sistema da “minha cela, minha vida” (preventiva fácil, constitucionalmente reprovada), que valia apenas para os súditos, passou a valer também para os proprietários (incluindo os grandes proprietários e os políticos, brancos naturalmente), acusados de serem “barões ladrões”.

Aos “pedalinhos” claramente se aplicaria o princípio da insignificância. Mas ninguém contava, com toda certeza, que até mesmo o tríplex e o sítio de Atibaia (caso sejam do Lula – as investigações prosseguem) se tornariam “juizados de pequenas causas” (diante das imputações milionárias ou bilionárias de corrupção, tráfico de influência etc.).

Uma coisa é certa: contra todas as lideranças políticas emblemáticas (no mundo inteiro), deve-se decretar uma prisão com tudo muito comprovado. É preciso convencer a população (sob pena de rebelião coletiva). Mais: se ele deixar a prisão sem reconhecimento de culpa alguma, o herói nacional se transforma em um mártir (isso, eleitoralmente, o torna quase imbatível).

Contra Dilma a delação de Delcídio também é “bombástica”: ela saberia da corrupção na Petrobras, teria mantido diretores para essa finalidade, teria conhecimento total da compra fraudulenta de Pasadena, teria feito caixa dois na campanha de 2010 etc.

Se tudo isso fosse pouco, ainda teria nomeado Marcelo Navarro como ministro do STJ com a promessa de ele votar pela soltura de empreiteiros presos pela Lava Jato. E efetivamente seu voto favorável ao ex-presidente da Odebrecht e da Andrade Gutierrez aconteceu. Toda a trama seria do conhecimento do ministro Francisco Falcão.

O CNJ deve investigar isso a fundo. Dilma teria usado seus poderes legais para favorecer financiadores da sua campanha (assim como das campanhas dos adversários). Não há dúvida que aí haveria crime de responsabilidade (que autoriza o impeachment). O pedido já formulado pode ser aditado. Sua tramitação volta, depois da decisão do STF, à estaca zero.

Quanto a Dilma, então, temos o seguinte: subiu o termômetro do impeachment (as regras procedimentais já estão definidas, mas sem as ruas nada vai acontecer); mais provas estão aparecendo de abuso de poder econômico e outros crimes em suas campanhas (esse é o processo que tramita no TSE, relacionado com a campanha de 2014).

Evidentemente que a Presidenta precisa ser investigada (ela não pode ser processada por crimes fora da função, mas investigada sim). Pode e deve ser investigada. A presunção de inocência não impede a investigação. Antes de tudo, é uma questão de passar a limpo as suspeitas (com todas as consequências nacionais e internacionais que isso acarreta para a economia, para a instabilidade social etc.).

Como disse o ministro Celso de Mello (do STF), no sistema Republicano ninguém está acima da lei. E o presidente deve ser o primeiro a dar o exemplo. Mais: ele também falou em “assalto e captura do Estado brasileiro por uma organização criminosa”. É a propinolândia, ou seja, o paraíso das propinas cleptocratas (dos donos do poder).

O argumento de que Delcídio não “tem credibilidade” (levantado pelo PT e Cardozo) não tem nenhum efeito jurídico. O STF refutou essa tese no dia 27/8/15, em julgamento de habeas corpus (impetrado pelo ex-ministro Dipp) que questionava a credibilidade de Youssef para fazer delações (depois de ter quebrado outra anterior no caso Banestado). Mais: Delcídio era líder do governo no Senado até semana passada. Se não fosse de confiança não seria líder.

A chance de a Comissão de Ética do Senado cassar o senador Delcídio (se confirmada sua delação) é enorme. Na mesma onda “morolizadora” deve também sair a cassação de Eduardo Cunha (apesar da sua habilidade negociadora). Uma coisa puxa a outra. É uma questão de preservação da “imagem” das instituições, se é que ainda resta algo honorífico a ser mantido depois de tanta corrupção e bandalheira.

  • CAROS internautas: sou do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE) e recrimino todos os políticos comprovadamente desonestos assim como sou radicalmente contra a corrupção cleptocrata de todos os agentes públicos (mancomunados com agentes privados) que já governaram ou que governam o País, roubando o dinheiro público. Todos os partidos e agentes inequivocamente envolvidos com a corrupção (PT, PMDB, PSDB, PP, PTB, DEM, Solidariedade, PSB etc.), além de ladrões, foram ou são fisiológicos (toma lá dá ca) e ultraconservadores não do bem da nação, sim, dos interesses das oligarquias bem posicionadas dentro da sociedade e do Estado. Mais: fraudam a confiança dos tolos que cegamente confiam em corruptos e ainda imoralmente os defende.

165 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Delcídio Amaral lembra o Zacarias, dos Trapalhões.
Também fez o povo rir um pouco nessa semana...

Independente de quem é preso, de quem sai do poder, e de quem o assume, o mais importante é a mudança de mentalidade.

Esse é o problema maior de todos: nossa oposição é um lixo igual ou pior do que a situação.
Tirando alguns que prestam, a maioria é uma corja de parasitas, dispostos a apoiar quem paga mais.

De tudo, uma lição foi aprendida: empresas não devem ficar nas mãos do governo....Nenhuma delas.

Privatizar é proteger. continuar lendo

Pedro, acho que exatamente este é o ponto.
Admitindo-se o argumento mais usado pelos petistas e seus simpatizantes, que é o "todo mundo rouba", mais uma razão para se defender menos Estado.
É menos dinheiro roubado da população, já que como Thatcher há tempos dizia, não existe essa coisa de dinheiro público, o que existe é dinheiro tomado da sociedade na forma de impostos.
Menos Estado é uma parcela maior do que é público podendo estar no foco da imprensa, dos órgãos de fiscalização e da opinião pública. continuar lendo

Num país sério, onde as riquezas que são produzidas em seu território ficam para si e o que vendem mundo afora lhe retorna em pecúnia, ai sim as empresas devem ser privatizadas. Contudo, sabemos que seremos colonizados, que o que for produzido aqui, o for feito de dinheiro aqui, não será nosso, acontecerá como o pau-brasil e o ouro que nos levaram, e o Brasil ficou na miséria.

Um país como o Brasil precisa de empresa públicas e soberanas, principalmente em setores pontuais. continuar lendo

Prezado Aphonso,

Se ao invés de começar com o populismo costumeiro em terras tupiniquins defendendo "O petróleo é nosso", o Getúlio Vargas tivesse aplicado a lição dos nossos colonizadores europeus e arrecadado o "quinto" (20%) o Brasil estaria menos endividado e nada disso estaria acontecendo.

Companhias petrolíferas nacionais (como a Ipiranga) e internacionais estariam em regime de livre concorrência extraindo o óleo com seus próprios recursos e pagando tributo. continuar lendo

Pedro, o problema não é privatizar, porque a privatização também dá ensejo a roubalheiras de todo tipo. Leia o livro "A Privataria Tucana" do jornalista Amaury Ribeiro Júnior. Esse livro está disponível na Internet para download gratuito. O governo está sendo obrigado a privatizar a Petrobrás aos pouquinhos. Ela já encolheu bastante desde o escândalo do Petrolão. É possível que encolha tanto que acabe por se transformar num escritório na Avenida Paulista ou Avenida Rio Branco, no Rio de Janeiro. É lamentável ver isso acontecendo em nosso País. continuar lendo

Ricardo, lendo o livro eu continuo favorável às privatizações.
Veja, o que teoricamente o livro denunciaria seria fraude no processo de privatização, e não analise econômica da privatização em si.
Quanto aos valores usualmente difundidos me parece haver equívocos evidentes. Estimam valores de empresas em total descompasso com o que de fato valiam, sem contemplar o fato de que era extremamente usual a maquiagem de balanços (expediente que o PT resolveu resgatar). Veja que os bancos públicos de diversos estados, completamente falidos, no papel eram superavitários. Há pouco tempo a Petrobras teve que fazer baixa em seu balanço de mais de R$ 40 bilhões!! E isto apenas porque o escândalo veio à tona, do contrário continuaria lá.
Já vi dizerem que a Vale valeria, lá atrás, R$ 200 bilhões. Nem hoje, mais de década depois a empresa vale isso.
Parece-me que o discurso ufanista, neste caso, desprende-se completamente da realidade. Já vi entrevista do falecido deputado Enéas dizendo que a empresa valeria R$ 1 trilhão. Nem a Petrobras, que sempre valeu mais, na época da mega capitalização da empresa e de toda a euforia de Pré Sal valeu isso. É um total descolamento da realidade.
Outra coisa. Se formos, por exemplo, nos influenciar por visões como a do Nassif vamos achar que o que ocorre hoje é geopolítica dos EUA de olho no Pré Sal. Sinceramente. Os EUA já são hoje o maior produtor mundial de petróleo! A gente tem que saber separar o real do imaginário. Nem digo que se não fossem grandes produtores os EUA não tentariam influenciar a questão, mas o fato é que isso não faz, no contexto real, qualquer sentido. História parecida com a sempre ameaça da "invasão da Amazônia"...
Voltando às privatizações. O que seria melhor, ainda termos telefones a preços de carro? A Embraer ainda ser cambaleante ou ser, como é hoje, líder do setor?
Falo por conhecimento próprio. A ineficiência é praticamente uma característica ínsita ao setor público.
Por fim, ressalto que não posso chancelar os processos de privatização porque não auditei os balanços, não tenho como afirmar categoricamente que os valores estavam certos ou errados (apesar de que, já que foi em leilão, se estivessem a preço de banana deveriam atrair mais interessados) mas me parece que a privatização, em si, foi positiva ao país. continuar lendo

A Petrobras é de economia mista. Se tivessem feito uma lei que "privatizasse", mas desvinculasse os 51% era só ter vendido ações, homeopáticamente, conforme a demanda enquanto valiam R$ 50,00 cada.

Dai questões de desonestidade (na hora de administrar esta venda) já vira o dilema entre achar quem surgiu primeiro; o ovo ou a galinha... continuar lendo

Afhonso, a meu ver, o Brasil não deixou de ser colonizado. Ainda somos fonte de matéria e mão de obra. Acho incrível que grandes empresas tragam suas fabricas para ca no intuito de "gerar" emprego (mão de obra barata), estimular a economia, mas vender seus produtos com preço de fora! Com justificativa nada concretas. Vendemos nosso melhor e ficamos com o resto, temos acesso a comprar "produtos de primeira linha" mas como produto importado. Com um alto custo. Brasileiro abastece o mercado mundial mas mingua pra comprar um produto de qualidade internamente. Qualquer empresa que se forma no Brasil com uma certa expressividade é questão de tempo ate algum conglomerado internacional adquirir a empresa e voltamos nesse ciclo vicioso. Pagamos caro por algo que nos mesmo produzimos ou alimentamos. continuar lendo

Perfeito! Pedro! Falou com propriedade e razão! continuar lendo

Muito bem colocado Pedro, e por falar em parasitas eu acho que deveriam aproveitar a limpeza e exterminar essa quantidade absurda de partidos políticos e manter somente três, pois só servem para roer verba pública, e são totalmente inúteis. continuar lendo

Só esqueceu de dizer que essa proteção será feita pelos maiores corruptos do país, que sonegam 500 bilhões de reais/ ano (essa sim , uma corrupção 7 vezes maior que todas as outras somadas).
Privatizar é ter mais "carrapatos estatais" e mais raposas vigiando o galinheiro. continuar lendo

Pois é, senhor Pedro, se formos "peneirar" TODOS os políticos não só de Brasilia, como do Brasil no todo, pouquíssimos serão aproveitados. Participei ativamente da Revolução Militar de 64 (Ditadura para os comunistas). Tanto criticam-nos, porém, se houve alguma corrupção, proporcionalmente aos feitos pelos militares (Itaipu, como ex.), teria sido insignificante perante o que assistimos hoje; é simplesmente escabroso. O país não pode ficar como está, nós-brasileiros, não merecemos isso. Se não há bons homens públicos para assumir a direção dessa "nau desgovernada", então o que poderia ser feito? continuar lendo

De fato, a privatização tão combatida pela esquerda cleptocrata é sem duvida o melhor caminho para dar sequencia ao processo de moralização em curso.. Esse movimento junto com o fortalecimento das Agencias Reguladoras, despolitizando-as e devolvendo-as ao Estado, tal como foram criadas, vai trazer ao cidadão brasileiro uma garantia de melhores e mais baratos serviços prestados. Isso deveria ser promovido em todos os Setores da Administração Pública e da Economia, reduzindo drasticamente o tamanho do Estado e reduzindo a necessidade de tantos impostos. continuar lendo

Você tem razão Silvio Alexandre, as ações da Petrobras chegaram a custar R$ 60,00. A privatização no governo FHC vendeu empresas na "bacia das almas", aceitando até moedas podres. O BNDES entrou de sola nesse processo, financiando a compra de empresas postas na vitrine da privatização. Os consórcios eram organizados "à moda vamos embora". Mendonça de Barros teria, inclusive, pronunciado uma frase que entrou para a História - "estamos no limite da irresponsabilidade". Tasso Jereissati, um tucano de alto poleiro, teria sido grande beneficiário na aquisição de empresas de telecomunicações no nordeste. Isso tudo está bem explicado no livro de Amauri Ribeiro Júnior. Agora o governo do PT, que era contra as privatizações, vende partes da Petrobras com as ações da empresa valendo pouco mais de seis reais, isto porque ela deu um salto ontem na Bolsa de Valores; imagine só quanto prejuízo pro País. Como diria Bóris Casoy, isto é uma vergonha. continuar lendo

Antônio,

Pessoalmente sou contra criar agências a torto e a direito pois elas tem um alto custo, e grande parte das vezes, tem competências que deveriam ser minimizadas a ponto de fazer parte de outros órgãos do governo.

Burocracia excessiva apenas causa mais complexidade e a ilusão do controle, e assim mais oportunidades para sonegação e até erros que podem trazer custos desnecessários às empresas e pessoas, maiores custos de operação (pois terá mais gente escrevendo em papel do que definitivamente produzindo), entre outras coisas nocivas que fazem parte da cultura nacional.

O inchaço na máquina pública fica evidente no discurso onde a nossa amável presidente defendia a criação de um ministério para um assunto tão importante que ela nem lembrava qual era!

Sobre as agências, temos a ANAC. Para que ela existe? Parece óbvia a sua função social, mas quem cuida dos aeroportos é a Infraero, do tráfego aéreo os militares. Alguma questão relacionada à matrícula das aeronaves e coisas do gênero deveriam ser tratadas diretamente na aeronáutica e questões relacionadas a proteção dos interesses do consumidor deveriam ser deixadas para o Procon. Além disto esses procedimentos deveriam ser simplificados e automatizados apenas para constar como uma ameaça onipresente de que se algo der errado será tirado o escalpo dos responsáveis através da justiça. Alguém ai pode dizer que é justamente a ANAC que faz esta última parte, mas e como anda o caso do jatinho do Eduardo Campos? continuar lendo

Bancos são privados e tiram de nós muito mais dinheiro do que estatais continuar lendo

Bobagem , a maioria dos presos da lava jato são empresários da iniciativa privada, me parece que o problema é DNA mesmo.Se o serviço público não existi-se , os ladrões da iniciativa privada dariam outro jeito de nos roubar, sei lá, pagando campanha política e conseguindo empréstimos do tesouro nacional via BNDS para fins privados, mas pera ai , isso já ocorre , os maiores doadores de campanha ,também são os que mais conseguem dinheiro do BNDS.

Não existe solução fácil para a corrupção, o segredo antes sim está na educação e no reforço das instituições democráticas, a privatização pode reduzir problemas administrativos , mas a profissionalização da gestão das empresas publicas, no lugar da vergonha que são os cargos em comissão ,também, resolve. continuar lendo

Roubar ou não roubar, eis a questão.
Privatizar ou não privatizar, eis outra questão.

Creio que o problema maior é a interferência do Estado na gestão e não o funcionamento.
A Petrobrás se mostrou ser uma empresa totalmente lucrativa, isso podemos ver pela quantidade de recursos que foram desviados e a empresa continua de pé.
Os Petroleiros deveriam fazer greve, não por melhores salários mas sim para que a empresa fosse gerida por funcionários de carreira ou CEO contratado na iniciativa privada com "ilibado conhecimento do assunto" e que os cargos no conselho não fossem distribuído a amigos e ministros como forma de compensação salarial.
O Petróleo pode ser nosso mas a Petrobrás precisa de direção, assim como a CAIXA, o BNDS, os Fundos de Pensão, o BB, a ANAC, a INFRAERO, a EMBRAER e outras.
Política deveria ser prestação de serviço gratuito e o uso do cargo em proveito próprio deveria ser punido com pena máxima. continuar lendo

"empresas não devem ficar nas mãos do governo....Nenhuma delas."
Bingo!
Esse é o objetivo de todo este circo de "moralização" e de exposição dessa corrupção que impera até agora e não vai parar. Vai parar a escandalização midiática, assim que os objetivos forem alcançados: Entregar as joias da coroa, estabelecer um governo que só atenda aos poderosos e destruir a esperança do povo para sair deste conservadorismo. continuar lendo

O mais engraçado é a tentativa espúria de desqualificar a delação. Ora, a própria Dilma sancionou a lei que baliza o assunto. Agora, por pura conveniência política, "delação não é prova e delator não vale nada".

HAHAHAHAHA, QUE DESESPERO!! continuar lendo

O Delcidio é o elemento representativo da moral da sociedade e muito qualificado... continuar lendo

Para delatar os podres do PT o Delcídio é um dos mais qualificados! Para o desespero dos petistas.... continuar lendo

A República esta desmoronando sob os nossos olhares...

O erro do PT foi achar que com a eleição de Lula/Dilma, o país se transformaria num grande "sindicato", aonde a minoria seria massacrada com relativa facilidade... Ledo engano.

Esperemos os próximos capítulos e as novas descobertas sobre a queda da "República Sindical" que se arvorava dona de um país e do Judiciário, Legislativo e Executivo (mania de grandeza? Certeza da Impunidade? Achar que tudo e todos estão a venda?)

Enfim, é triste ver que promessas de mudanças se transformaram, praticamente, em certezas de roubo, desvios, tráfico de influência em grau jamais visto!!!

Collor et caterva, perto desta turma, é um mero "batedor de carteiras"... continuar lendo

Voltemos à monarquia!!!!!! Quem sabe, uma luz no fim do túnel!!!! continuar lendo

Professor Luiz Flávio Gomes um belo artigo parabéns escreveu tudo aquilo que eu penso, basta de corrupção, o povo brasileiro tem que acordar!! ajudando a construir um Brasil justo para nossos filhos e netos, tenho viajado e muitas vezes omito de dizer que sou brasileiro.ou melhor sinto vergonha!! Chega de Impunidade!!Um grande abraço HGASSO continuar lendo