jusbrasil.com.br
17 de Outubro de 2019

Catilinárias: é indispensável uma faxina geral na cleptocracia

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 4 anos

LEMBRETE aos internautas que queiram nos honrar com a leitura deste artigo: sou do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE) e abomino todos os políticos profissionais desonestos assim como sou radicalmente contra a corrupção cleptocrata de todos os agentes públicos (e privados) que já governaram ou que governam o País, roubando o dinheiro público (PT, PMDB, PSDB, PP etc.). Todos os partidos e agentes comprovadamente envolvidos com a corrupção, além de ladrões, foram ou são fisiológicos (toma lá dá ca) e ultraconservadores dos interesses das oligarquias bem posicionadas dentro da sociedade e do Estado. Mais: fraudam a confiança dos tolos que cegamente confiam em corruptos e ainda os defende.

Catilinrias indispensvel uma faxina geral na cleptocracia

Não interessa a filiação partidária nem o cargo ocupado: a Lava Jato tem que cumprir a missão, dentro do Estado de Direito, de promover uma faxina geral no velho clube da cleptocracia que envolve empreiteiras, financistas, altos funcionários (particularmente da Petrobras) e políticos. O altíssimo nível de desentendimento entre os quatro núcleos do crime organizado (o administrativo, o empresarial, o político e o financeiro) agrava a crise política e, em consequência, a econômica, mas produz bons resultados para a apuração da verdade. A sociedade é a grande beneficiária quando um dos membros do clube cleptocrata rompe a omertà (silêncio) para informar tudo que sabe sobre os crimes cometidos.

Na Operação Catilinárias foram apreendidas toneladas de documentos. Se ficar comprovado que Eduardo Cunha esteja tentando obstruir a investigação Lava Jato, é quase certa a decretação da sua prisão preventiva. No dia 10/12/15 escrevi um artigo onde comentei um dos discursos de Marco Túlio Cìcero, contra Catilina. Veja a sua íntegra (para entender o nome dado à nova operação da PF):

Fonte: http://luizflaviogomes.com/quo-usque-tandem-abutere-eduardo-cunha-patientia-nostra/

“Quo usque tandem abutere, Eduardo Cunha, patientia nostra?

Parafraseando o maior orador da Roma Antiga, Marco Túlio Cícero, que foi autor do livro Catilinárias (série de quadro discursos impregnantes, contra o senador Lúcio Sérgio Catilina, um corrupto falido e sabotador da ordem por seus crimes e vícios), no ano de 63 a. C., quando era cônsul[1], cabe proclamar:

Quo usque tandem abutere, Catilina, patientia nostra?

Até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência?

Até quando os canalhas da República Velhaca (1985-2015) abusarão da nossa paciência enquanto são apurados os seus ignominiosos crimes (seja nas Comissões de Ética, seja na Lava Jato)?

Quam diu etiam furor iste tuus eludet?

Por quanto tempo a tua loucura há de zombar de nós?

Por quanto tempo o Ministério Público, a Polícia Federal, os Juízes e o povo suportarão as astuciosas manobras jurídicas protelatórias da escória da República Velhaca, bem como as loucuras que zombam persistentemente de todos nós?

Quem ad finem sese effrenata iactabit audacia?

A que extremos se há de precipitar a tua desenfreada audácia?

Até quando nossa nação continuará sendo palco de um clube mafioso cleptocrata que todos os dias nos rouba, privando-nos até mesmo de minguadas esperanças futuras? Até quando vamos permitir que a desenfreada audácia dos “bandoleiros da República” (Velhaca) continue nos importunando, nos indignando e nos surrupiando impunemente à luz do dia?

Nihilne te nocturnum praesidium Palatii, nihil urbis vigiliae, nihil timor populi, nihil concursus bonorum omnium, nihil hic munitissimus habendi senatus locus, nihil horum ora vultusque moverunt?

Nem a guarda do Palatino, nem a ronda noturna da cidade, nem o temor do povo, nem a afluência de todos os homens de bem, nem este local tão bem protegido para a reunião do Senado, nem a expressão do voto destas pessoas, nada disto conseguiu perturbar-te?

Nem as provas cabais, sobretudo do Ministério Público da Suíça, nem suas contas secretas (não declaradas ao Fisco nem à Justiça Eleitoral), nem as delações dos seus companheiros do clube mafioso cleptocrata, nem suas astutas tentativas de movimentação das contas clandestinas, para impedir ou obstruir a investigação criminal na Lava Jato, nem suas indecorosas manobras para adiamentos infinitos dos julgamentos na Comissão de Ética, nem suas cabeludas mentiras, nem seus conluios protetivos com comparsas criminosos da cleptocracia, nem o ódio e o nojo do povo, nada disso conseguiu perturbar-te?

Patere tua consilia non sentis?

Não te dás conta que os teus planos foram descobertos?

Não percebem, crápulas da direita ou da esquerda, integrantes da República Velhaca (1985-2015) bem posicionados dentro do Estado e do Mercado cartelizado, que seus crimes já descobertos estão aniquilando a maior parte do povo brasileiro, sobretudo os que estão agonizando em virtude da fome e da miséria, da dor e do sofrimento, gerado pela improvisação das barragens que se rompem, matando rios inteiros, das políticas públicas que não previnem doenças nem mosquitos, das anencefalias e microcefalias que atingem prioritariamente os desfavorecidos, das inundações ou secas que afligem as populações, da inflação que aniquila os pobres, da violência que vergasta, do desgoverno que maltrata todos?

Constrictam omnium horum scientia teneri coniurationem tuam non vides? Não vês que a tua conspiração a têm já dominada todos estes que a conhecem?

Não reconhecem que suas mentiras e conspirações, que seus conluios licitatórios e subornos, estão agudizando as crises política, econômica, social e ética que estamos experimentando conjuntamente? Por que não enxergam o caos social e econômico que já forjaram nem o colapso iminente que é a antessala do abismo?

Quid proxima, quid superiore nocte egeris, ubi fueris, quos convocaveris, quid consilii ceperis, quem nostrum ignorare arbitraris? O tempora, o mores!

Quem, dentre nós, pensas tu que ignora o que fizeste na noite passada e na precedente, onde estiveste, com quem te encontraste, que decisão tomaste? Oh tempos, oh costumes!

Que pensam esses escroques da República Velhaca, que cotidianamente enojam a nação com suas discussões estéreis e agressivas? Que tipo de ética destilam diuturnamente em seus afazeres? Onde aprenderam que a função do político é disputar o poder pelo poder e o dinheiro pelo dinheiro? Não leram José Mujica que diz que “quem quer ficar rico não pode entrar na política”? Olhem a qualidade das leis que produzem assim como os problemas intermináveis que estão gerando, muitas delas “compradas” pelos setores cafajestes do Mercado de compadres! Até quando ficarão impunes suas “emendas” e “jabutis” encomendados e regados a dólares? Até quando perdurará a impunidade dos partidos financiados com o dinheiro da corrupção? Que tipo de sorte possuem os canalhas do Estado e do Mercado que nos ludibriam diacrônica e sincronicamente sem serem importunados em seus cargos, especialmente os de comando, nem em suas riquezas ilícitas? Até quando os ensaboados e vaselinados continuarão se esguiando por entre os meandros dos poderes e dos escombros normativos em clara afronta à Justiça e ao povo? De onde saíram esses monstros, prodígios da perversidade, da astúcia e da maldade?

[1] Ver Wikipedia e Discursos que inspiraron la Historia, FIELD, Jacob F. Tradução de Jaime Jerez. Madrid: Editorial EDAF, 2014, p. 31.

54 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Muito bom o texto, quando foram iniciadas as investigações na Lava Jato, A presidente Dilma se pronunciou afirmando que não ficará pedra sobre pedra. O afastamento dela agora seria conveniente para muitos fazendo que parassem as investigações, tenho medo disso. continuar lendo

Não haveria qualquer razão para parar as investigações, se a chefa em comando da quadrilha for presa ou afastada. Pelo contrário. continuar lendo

O que mais me surpreende na Lava Jato é que parece que o PT não teve nada com o esquema na Petrobras. Afinal, Lula e Dilma sequer são chamados a dar depoimentos, quanto mais a ser investigado.

Fico pensando se a mesma eficiência e eficácia demonstrada contra a mentira de Eduardo Cunha tivesse sido utilizada na solução da Lava Jato se o PT ainda estaria de pé... continuar lendo

Que fixissação pelo PT, na verdade o Lula foi sim chamado a depor , ele e o Lulinha.Se não foi preso é porque não deve ou as provas ainda são insuficientes. continuar lendo

Justamente ao contrário, já teve politico da oposição delatado, e parecem blindados. continuar lendo

Então podemos dizer Lula e Dilma não governam o país. Se tudo isto aconteceu no Brasil e eles não tem nenhuma responsabilidade, ou são incompetentes ou são omissos. E nos dois casos, são culpados. Isto para ser beeeeem rasteiro.

Agora vamos lá, quando Lula deu depoimento? Agora, se alguém espera nota fiscal, filmagem em HD com Lula e Dilma dizendo que vão fazer e acontecer... continuar lendo

Foi um delegado independente que pediu o depoimento.De muitos poderes que tem um presidente, a onisciência não é um deles. continuar lendo

Acredito que há uma fixação e indignação seletiva, pois o PGR arquivou denúncias do tanto do Aécio quanto da Dilma, porém denunciou o Cunha entre outros.

Indicação do PGR:

Ato Complexo:
1º votação do Procuradores;
2º Ratificação ou não do Senado.

Lembrando que isto é um costume aplicado a partir de um período, na carta magna atualmente está assim:

1º Indicação do Presidente;
2º Ratificação ou não do Senado.
(art. 84, XIV e art. 128, § 1º da CF) continuar lendo

"De onde saíram esses monstros, prodígios da perversidade, da astúcia e da maldade?"

Vocês sentem o peso deste questionamento?
É inevitável não constatar nossa parcela de culpa na criação dos monstros, tais estes que, diferentemente do que acontece quando somos crianças, não surgem de nossa imaginação, e sim da nossa ação. Ação cidadã, que começa na avaliação dos candidatos e não termina pós eleição.

No DNA de cada Catilinia contemporâneo, tem um pouco da nossa acomodação e do tal do "político é tudo ladrão" "ele rouba, mas faz" "pior que tá num fica"... entre tantos outros mais.

Soa duro, mas nós também somos máquinas de criar monstros! continuar lendo

Exatamente Fabiana, o cidadão é responsável DIRETO pelos monstros que lá que estão. Ou será que não foram eleitos, surgiram como quem não quer nada e tomaram o poder... continuar lendo

Só há uma maneira, uma campanha nacional para mudar tudo, não reelegendo políticos de vereador a presidente. continuar lendo

Você tocou no fulcro do círculo vicioso.
Nascido com a carta de Caminha, pedindo emprego para o genro.
Disseminado com a vinda de condenados e degregados para ca.
Consolidada pela Coroa Portuguesa que criou um sistema de privilégios.
Adotada por todo brasileiro que quer levar vantagem ou mamar na viúva.
Institucionalizada pelo PT. Que transformou o crime em arte.

Apenas alimentando o círculo virtuoso podemos sonhar com futuro distinto.
Não há dúvida que o afastamento de Collor e agora de Dilma sejam exemplos.
Não há dúvida de que a atuação de Barbosa e Moro definiram rumos.
Mantidos estes rumos, quem sabe a próxima geração herdará um país melhor.

A nossa está perdida.
Exceto pela virada de rumos de um povo e país cleptocratas.
Para um povo e país que busca, finalmente, a ordem e o progresso.
O Véio. continuar lendo

Esses monstros saem dos marketing político, da grande mídia e do sistema eleitoral (Coalizão) Jurídico (Grandes escritório de Advogados formados por Juristas renomados) e enfim dos grandes empresários.Estamos em um beco sem saída e o crime organizado está infiltrado nos poderes constituídos.á única saída seria mudança radical nos poderes legislativo, Executivo e Principalmente no Judiciário. continuar lendo

Se Eduardo cunha tivesse ficado do Lado da Dilma, ele não estaria passando por isto, mas todos aqui sabem disto né? Ele foi bater de frente com o governo e acabou virando janela. Se ele tivesse ficado quieto, tava tudo bem com ele, Esta é a realidade da Justiça Brasileira.

Não é somente os políticos os monstros sociais não, têm magistrados piores por ai. continuar lendo