jusbrasil.com.br
24 de Agosto de 2019

PT e PSDB: “acordão” para blindar corrupção institucionalizada

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 5 anos

Cena 1: Aécio Neves (em 5/11/14), na sua estreia como líder da oposição, dono de 51 milhões de votos, pronuncia um retumbante discurso (no Senado) e fala coisas típicas de estadistas: “Vamos fazer uma oposição incansável, inquebrantável e intransigente; temos que exigir exemplares punições àqueles que protagonizaram o maior escândalo de corrupção da história deste país; só vamos dialogar com o governo se houver investigação implacável no petrolão”.

Cena 2: Seu discurso ainda ecoava dentro do Congresso Nacional (tal como uma potente voz penetra as ondas que atravessam um longínquo horizonte) quando, em outra sala do mesmo local, parlamentares do PSDB fechavam um “acordão” com os “petistas” para livrarem de ser chamados à CPI mista da Petrobrás alguns suspeitos de participação no “petrolão”. Quem? 1) Leonardo Meirelles, que é laranja de Youssef (precisamente quem disse que em 2010 foi dado para Sérgio Guerra, então presidente do PSDB, R$ 10 milhões, para engavetar uma CPI que estava em andamento naquela época); 2) Gleisi Hoffmann (senadora petista) (que teria recebido R$ 1 milhão do esquema Petrobras); 3) João Vaccari Neto (tesoureiro do PT), outro beneficiário de grossas quantias do escândalo (segundo as delações de Paulo Roberto Costa). O deputado Carlos Sampaio, do PSDB (chefe jurídico da campanha de Aécio), que participou do “acordão”, disse que “a comissão apenas definiu um roteiro de investigação ou de procedimentos” (ou seja: “tucanou”).

01. Será que nem sequer uma pouca-vergonha dessas é suficiente para mexer com os brios da grande sociedade civil brasileira? A tese que estou trabalhando (nas minhas atuais pesquisas criminológicas) é simples: o poder no Brasil, total ou parcialmente (conforme cada momento histórico), sempre esteve sequestrado por uma troika maligna composta de políticos, partidos e outros agentes públicos + agentes econômicos despudorados + agentes financeiros inescrupulosos, que se unem, reiteradamente, de forma criminosamente organizada, em uma espécie de parceria público/privada, para a pilhagem do patrimônio do Estado - PPP/PPE. Estamos falando de organizações criminosas político-empresariais, que deformam escabrosamente nossa democracia, reconhecidamente corrupta (ocupamos o 72º lugar no ranking sobre corrupção na Transparência Internacional).

02. Soluções: 1ª) é preciso fortalecer concretamente nossas instituições de controle, tradicionalmente mancomunadas (intencionalmente ou não) com a ambiência democrática (político-empresarial) corrupta; 2ª) é preciso que a sociedade civil (especialmente o conjunto de eleitores) exerça um novo papel, que vai muito além do voto e das dissidências partidárias e eleitorais: um papel ativo organizado, sobretudo a partir das redes sociais, de controle, de fiscalização, de denúncia, de cobrança, de co-governança (numa espécie de democracia direta digital combinada com cidadania participativa responsável). O humano e, sobretudo, a sociedade que não se organiza, inteiramente, ou é besta ou é deus (dizia Aristóteles). Deus nós não somos, porque não temos poderes sobrenaturais. Resta-nos, então, perguntar, diante dos malefícios seculares gerados pela criminalidade organizada político-empresarial, se não estamos nos comportando, no Brasil, como bestas.

03. Os decepcionantes e escabrosos políticos e partidos que temos hoje no país (PT, PSDB, PMDB..., com pouquíssimas exceções) nos trazem mais desencantos (corrupção, inflação, desigualdade extrema, analfabetismo, parasitismo, selvagerismo) que alegrias (estabilidade econômica dos tucanos e inclusão social pelo consumo do lulismo). Há momentos de desesperança frente ao futuro. O amor e o ódio vertidos recentemente em torno dos partidos políticos deveriam ser convertidos em paixão pelo país (pela nação). Ganharíamos muito mais se caminhássemos não “partidos”, sim, unidos, juntos, contra a corrupção de todos os partidos e de praticamente todos os políticos (há exceções honrosas) que, cumpliciados com setores empresariais e financeiros, criaram um dos tumores mais malignos que andam necrosando o crescimento do país assim como a maior revolução pendente, que consiste na educação de qualidade para todos, em período integral, até à Universidade (aproveito para reiterar minha proposta: todos nós deveríamos participar, inclusive monetariamente (cada um dentro de suas possibilidades), dessa revolução, fazendo-se a maior parceria público/privada entre a sociedade civil e o governo, para a redenção definitiva da sofrida, mas orgulhosa e briosa nação brasileira).

04. Aécio discursou contra a corrupção como um estadista, mas “um tucano só não faz verão” (Veja). Faltou ao dono dos 51 milhões de votos combinar com os “45” que, sempre que interessa, se unem aos “13”, aos “15”, para blindar a corrupção político-empresarial. Isso faz parte do DNA dos políticos (veja agora a demora na análise do processo de cassação de André Vargas que, sem a perda do mandato, não será enquadrado na Lei da Ficha Limpa). Nas democracias corruptas, como a brasileira, basta que um político fale em “moralizar” o país, e o tropeço vem logo em seguida. O PSDB “queimou a largada”, disse Dora Kramer, que completou: “foi feita uma “melação premiada”, para evitar que a verdade da corrupção na Petrobras fosse descoberta; a oposição discursa cobrando investigação, mas quando há o risco de que os seus [seus companheiros ou seus financiadores] sejam envolvidos, dá o dito por não dito e embarca na operação abafa”.

05. A mesma jornalista (Dora Kramer) recordou que “O PSDB já havia padecido desse mal quando, em 2005, por ocasião da CPI dos Correios, não teve uma posição contundente quando se descobriu que o então presidente do partido, Eduardo Azeredo, usara o esquema de Marcos Valério [mensalão mineiro do PSDB] na tentativa de se reeleger em 1998. Os tucanos arrefeceram os ânimos e pagam o preço até hoje”. E o que dizer da CPI do Carlos Cachoeira? Que foi aquilo? Começaram a investigar de verdade e, de repente, meio mundo empresarial, financeiro e político estava envolvido. Outro “acordão” entre PT, PSDB e PMDB arquivou a CPI rapidinho, num documento final de 2 páginas (os norte-americanos dizem que há bancos que são muito grandes para quebrar; no Brasil diríamos: há escândalos que são muito grandes para serem revelados e investigados). Em 2010, Sérgio Guerra teria recebido R$ 10 milhões para “arquivar” outra CPI.

06. Por que as CPIs (os políticos) engavetam os pedidos de investigação das empresas (construtoras, áreas de alimentos etc.) que formaram um cartel para lotear as grandes licitações no País? O Estadão respondeu: “As empresas que aparecem na Operação Lava Jato doaram R$ 456 milhões a PT, PMDB, PSDB, PSB, DEM e PP nos últimos sete anos, sem fazer distinção entre situação e oposição”. Parte do dinheiro foi repassada às legendas em valores fixos e mensais. Segundo o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, parte desse dinheiro teve como origem esquemas de fraudes em contratos, lavagem de dinheiro e corrupção, e foi parar nas campanhas presidenciais de 2010 do PT e do PSDB [pode-se afirmar que nada mudou em 2014].

07. Levantamento feito pela reportagem [do Estadão] mostra que o PT e o PSDB, juntos, receberam 55% do total repassado aos seis partidos via diretório nacional. Os R$ 456 milhões que irrigaram as contas dessas legendas de 2007 a 2013 – período que o Tribunal Superior Eleitoral pública para consulta na internet – representam 36% do total doado às seis legendas por pessoas jurídicas em geral, no período. Esse tipo de doação é legal, mas tem uma fiscalização mais frouxa em relação à eleitoral, e sempre foi usada para tentar dissimular a origem do dinheiro que abastece campanhas. Repasses mensais. O mapa do dinheiro feito pelo Estado mostra que as construtoras fizeram repasses mensais em valores fixos muitas vezes e pulverizados por partidos, tanto da situação como oposição. É o caso da Andrade Gutierrez, líder no total repassado: R$ 128 milhões aos seis partidos. Para o PT, em 2010, ela deu R$ 15 milhões, sendo que alguns mensais fixos, como três depósitos de R$ 700 mil cada entre fevereiro e abril. Para o PSDB, a Andrade Gutierrez fez 24 repasses, totalizando R$ 19 milhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo”. A democracia no Brasil, como se vê, é corrupta porque dele se apoderou uma organização criminosa político-empresarial.

P. S. Participe do nosso movimento fim da reeleição (veja fimdopoliticoprofissional. Com. Br). Baixe o formulário e colete assinaturas. Avante!

276 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Só arrancando todos eles do poder, removendo todos os privilégios possíveis e colocando gente lá que, mesmo com os poderes e regalias reduzidíssimas, assim mesmo desejem ficar e lutar por nós. continuar lendo

Quando falo que no Brasil ELEIÇÃO É FORMAÇÃO DE QUADRILHA, tem quem diga o contrário, aliás devem pertencer a algum partido politico ou devem ser parentes de políticos. Essa bando de ladrões, bandidos e vagabundos que se instalou no poder tem que ser derrubado a qualquer custo, temos que dar um basta nisso! continuar lendo

Aécio ou Dilma? Durante as eleições disse e repeti inúmeras vezes: somos meras ovelhas incautas que tem que escolher entre a onça e o lobo para tomar conta do rebanho. “Qualquer que fosse o vencedor seríamos devorados”. Não mudo uma letra do que disse. Apenas acrescentaria que ovelhas sem educação e sem cultura que jogam lixo na rua e nos rios, furam fila do cinema e se corrompem por saco de cimento, chinelo ou um emprego numa repartição pública merecem os políticos que tem. E não pensem que as ovelhas corruptas estão nas favelas e nos bairros pobres. As piores ovelhas são as que habitam os bairros nobres e circulam pela alta sociedade. A maioria come capim, mas arrota caviar. continuar lendo

Rafael, concordo plenamente com você, entendo que o politico não tem que ter verba de gabinete. Caso seja necessário que faça concurso público para contratar as pessoas em substituição ao Cargo de confiança hoje existente. continuar lendo

Caro Sr. Rafael, para que isso seja possível é necessário um GOLPE de estado, ato que sem sombra de dúvidas nós brasileiros não temos expertise após as ações da revolução de 30 onde os manifestantes evoluíram até chegar neste século com o poder total. Resta-nos o longo caminho da educação e das manifestações isoladas que podem convergir para um movimento maior e atrair pessoas bem intencionadas. continuar lendo

O Departamento de Justiça dos EUA abriu uma investigação criminal contra Petrobras para saber se houve pagamento de propina para a empresa, ou algum de seus funcionários, nas operações americanas da estatal brasileira, segundo o jornal britânico “Financial Times”. Essa investigação ocorre de forma paralela a uma segunda, feita ela pela Securities and Exchange Commission (SEC, o órgão regulador do mercado americano). A Petrobras tem recibos de ações, os chamados ADRs, negociados na Bolsa de Valores de Nova York.

A investigação do Departamento de Justiça busca descobrir se a Lei de Práticas Corruptas Estrangeiras, que proíbe o pagamento de propina para estrangeiros para obter vantagens em negócios, foi violada. A investigação procura comprovar se alguma empresa registrada nos EUA ou indivíduo pagou propina para funcionário ou representante da Petrobras para ter privilégios comerciais.

A reportagem, porém, não dá detalhes sobre as suspeitas do Departamento de Justiça americano, nem afirma quais seriam os negócios da Petrobras sob investigação no país. No início deste ano, a refinaria de Pasadena, no estado americano do Texas, se tornou alvo de investigação em função de suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas.

O “FT” ainda menciona as últimas investigações, realizadas pela Justiça brasileira, sobre um dos “maiores escândalos de corrupção da história do país”, ressaltando que muitos dos problemas aconteceram durante o governo da presidente Dilma Rousseff. A coluna Lex, um das mais relevantes do jornalismo financeiro, cita a Operação Lava-Jato no Brasil.

Segundo o jornal, o Departamento de Justiça americano e a SEC preferiram não comentar o caso. Já a Petrobras não apresentou uma posição sobre o tema. No ano passado, a Justiça americana e a SEC denunciaram mais de 20 empresas e representantes que desrespeitaram a Leia de Práticas Corruptas Estrangeiras no país. Em um dos casos, o Departamento de Justiça apresentou uma denúncia contra depositários que negociaram propinas com representantes do Bandes, bando estatal venezuelano. (O Globo) continuar lendo

Pois é Rafael de Souza. Só que quando há uma proposta de Reforma Política através de um Plebiscito (onde políticos não tem interferência, apenas faz valer a vontade do povo), como propôs a Presidente Dilma, o que o povo faz? Fica contra esta proposta. E o Decreto de Participação Popular que a Câmara derrubou e o Senado também o fará? E pasmem! Com a anuência do povo que acha que isto é ditadura.
Não adianta... Ou o povo apoia incondicionalmente a proposta de reforma política via Plebiscito, ou tudo continuará como está há vários anos.
Os políticos JAMAIS farão uma reforma que lhes tirem regalias. Por isso temem o plebiscito. continuar lendo

Luciano,
Era o que faltava, com a corruptela toda que temos nos governando, passar um cheque em branco para Dilma (ou para qualquer político) definir o que é "bom pra gente"... huaha melhor pedir opinião pro DIABO....
Milton continuar lendo

A única saída é os militares.....senão o Apocalipse mesmo.... continuar lendo

Nilsem...
Você é a favor do voto não obrigatório? continuar lendo

Só existe uma solução:

Todos para a rua, e o dia é 15/11/2014, em São Paulo é na Av.Paulista.
Qualquer outra solução, esbarra na justiça, justiça essa que está falida, portanto vamos para as ruas do Brasil EXIGIR mudanças e a prisão de quem rouba o dinheiro dos brasileiros. continuar lendo

Nas últimas eleições o brasileiro teve a mais expressiva oportunidade de trocar de ladrões, mas, por comodidade, até lógica por sinal, preferiu manter os anteriores. (Seria equivalente à síndrome de Estocolmo?)
A força de "roubar" nas urnas eletrônicas é tão poderosa que quase deu empate! continuar lendo

Mais ao Luciano Pires. Até poderia concordar com você. Deicar o povo decidir por voto em urna eletronica fraudada seria o mesmo que o governo na pessoa do presidente decidisse por si mesmo. Só teria efeito caso seja com voto impresso e controlado por fiscais de partido e nós mesmos. Cada grupo de 2 ou 3 pessoas dos votantes de cada seção que queiram ficariam um certo tempo junto com os fiscais para o controle, continuar lendo

Amigo Rafael Souza, quem faz as leis são eles, se alguém tentar criar qualquer lei desta, vai ser esmagado por todos os outros.
Ja cansei de discutir isso com um amigo meu que estuda história e a unica saída que seria possivel, isso se os brasileiros parassem de viver da experiencia de outras nações e começasse e escrever sua história, seria um ação separatista em outras palavras, uma guerra civil, tomando o poder e criando essas novas regras, sem isso, infelizmente só conseguiremos chegar a este patamar, talvez, em 1000 anos. continuar lendo

Os Congressistas representam a nossa sociedade, portanto não teremos políticos melhores dos que aí estão. Como uma sociedade que não obedece as regras mínimas de convivência pode dispor de representantes puros e honestos. Aí só importando.
Na verdade temos que escolher e votar no que achamos o melhor, porém cientes de que não teremos o ideal que almejamos. continuar lendo

Acorda Levino!
Domingo tem "futebor", sábado sambão no quintal, sexta "é dia de Bavária", segunda "tamo" cansado, terça "nóis ingana" patrão, quarta é dia "di farta prá i" no SUS, quinta macarão da "mama", sexta ih, ih.., tudo dinovo!!!
Que "i prá" rua "qui" nada! continuar lendo

Espero que o sr. esteja a favor do Decreto 8243/2014. É uma contradição querer diminuir o poder dos políticos e postar-se contra o referido decreto. continuar lendo

De modo algum, Elisabeth Iozzi, sou a favor de tal decreto, pelo simples fato de não sermos politizados ao ponto de conseguirmos as benesses da participação popular sem sermos enganados por pessoas muito mal intencionadas que nos fariam pensar de forma unilateral e nos tornarmos uma Venezuela ou URSS. Um verdadeiro banho de sangue com a culpa direcionada diretamente ao povo.
Um grande avanço:
* voto facultativo;
E reduções de regalias:
* salários estratosféricos, auxílios (carro, casa, gravata, cueca, paletó, 14º, 15º e demais bonificações);
* staff numerosamente obsceno de assessores;
* reeleição;
* campanha financiada por entidades privadas;
* foro privilegiado;
* não cumprimento de projetos prometidos;
* redução de mandato do senado;
* redução de quantidade de deputados;
* propaganda política de tempo igualitário para cada candidato;
* descontos de ausências nas casas legislativas/executivas;
* descontos de atrasos;
* enfim, ser responsável por no mínimo de comparecimento de 40 horas semanais ao TRABALHO (eleito e equipe);
Aí, os que já estão lá, teriam uma última chance de reeleição, depois disto, um mandato FORA do cargo eletivo.
Isso traria o desinteresse de quem vai ao pleito apenas pelo poder, conforto, luxo e influência.
Um candidato teria que se desdobrar para convencer seu eleitorado a comparecer as urnas.
Jamais aceitaria que um iletrado (leigo) como eu mesmo, fosse detentor de tal poder que aprovaria leis que poderiam fazer algo do tipo uma sangria entre bolcheviques e mencheviques aqui no Brasil.
E SABEMOS que este é o risco e temos FATOS e HISTÓRIA suficiente para alimentar o argumento. continuar lendo

Grande Marcus Siviero....kkkkk...retratou a realidade do verdadeiro brasileiro. E pensando bem esse povo é bem feliz como está...kkkkkkk
abraço continuar lendo

Bom texto.
Claro.
Preciso.
Contundente.
Pena que o facebook e até mesmo o Jusbrasil (os próprios internautas) briguem entre si.
Faz parte de uma estruturação político-mundial de fragmentariedade, nos dias de hoje, para que os envolvidos (povo) não se una e não perceba o que está havendo. Isso foi destacadamente latente nas manifestações de rua de junho de 2013, no Brasil.
Quem perde?
R.: O próprio povo! continuar lendo

Concordo contigo, uma pena que o povo brasileiro, ao invés de adotar uma postura apartidária,imparcial e nacionalista, gaste energia brigando entre si. As manifestações de junho foram manchadas quando partidos políticos, se valendo do populismo que é peculiar a muitos, quiseram tomar a posse delas.Se não há união do povo, não há progresso, é a verdade. Muito bom o texto, expressou de forma imparcial a realidade brasileira. Por isso acho muito importante a participação popular, desde a elaboração de políticas públicas até a fiscalização de sua implementação.
É preciso haver união para o bem da União. continuar lendo

Concordo com o texto, mas ao mesmo tempo fico inseguro no que se diz sobre união. O que eu vou dizer não é nenhuma afirmação, é somente um questionamento que me faço. Mas será que não somos poéticos demais? Na construção de uma sociedade não temos que ter pelo menos dois pensamentos opostos para que possamos pesar nossas próprias decisões? Não é mais adequado depois de expressarmos nossa "verdade" não escutarmos uma crítica e podermos ajustar nosso rumo? Concordo que a questão do poder entre partido A ou B nos faríamos de simples ovelhas, mas acho que dentro destes partidos há sim vertentes mais ou menos vorazes que podem melhorar ou piorar nossas vidas. Nossa democracia é nova, nossos governantes são corruptos, mas acho que o pensamento político principalmente nesta última eleição foi instigado e isso acho que é um saldo positivo. Não há solução mágica, não é tirando todos do congresso e começando de novo que resolve, o processo é lento e infelizmente não há receita pronta. A união do povo se faz discutindo, com certeza sem ser cego militante, mas cidadão crítico que fala,escuta e participa. continuar lendo

É a inteligência da ordem estabelecida pelos atuais senhores do poder, bancos, entidades sigilosas diversas, empreiteiras, sindicatos. continuar lendo

Willian Maximimiano,
Grato pelo seu comentário (questionamento).
Não quero parecer moralista ou presunçoso.
O texto do LFG faz crítica justamente onde você questiona: "na democracia é bom ter o oposto, vertentes diferentes...".
O grande problema, que o texto traz e que eu pontuei, é o seguinte:
O PMDB e PT e PSDB se uniram à grandes empresários, banqueiros e latifundiários... então, todos os Poderes (executivo, Legislativo e Judiciário) estão engessados (amarrados) com aqueles partidos e empresários...
Quem está unido é o PODEROSO (Estado) representante dos latifundiários e empresários, etc.

O povo fica discutindo e se divergindo, portanto, fragmentado. Assim, não consegue lutar contra o Estado....

Thomas Hobbes já falava no Leviatã (um monstro)....
Se eu pintei o assunto assim, a mim é o que parece...

Att.

Eduardo Bueno continuar lendo

Isso tem muita lógica, veja:
O que é mais importante?
Escrever "pátria" com acento (paroxítona em ditongo crescente) ou defender a "patria" sem respeitar a morfologia gramatical!
O segundo e mais importante problema é achar o brasileiro com DNA "estrangeiro", porque os daqui já trocamos mil vezes e ainda estamos na mesma. continuar lendo

Meu comentário é... sem comentários!
Minha azia, nos últimos 11 anos, se tornou gravíssima e torço para que acabe de uma vez comigo, pois não há como suportar a passividade do nosso povo e da nossa (in) justiça. Collor - muitos já o lembraram neste nebulosos tempos dessa nefasta ideologia vermelho-vergonha -, por muito, muito menos, foi sumariamente defenestrado. Esses aí, pelo visto, seguirão fazendo das suas 'ad aeternum'.
Há algo de muito errado no ar... continuar lendo

Bem lembrado. Imagine só o isolamento partidário da presidente, o crescimento do PMDB e os futuros discursos dos parlamentares ao votarem “SIM” (em nome da moral, da ética, da família etc.), verdadeiro show de hipocrisia. continuar lendo

vermelho vergonha? Tenha vc vergonha nessa cara: não leu o artigo direito, não? TODOS estão envolvidos e vc ainda tá nessa? Vergonha de todos e de ver gente como vc, defendendo o q TAMBÉM não presta! Até quando vc vai ficar de olhos fechados???? Se não tinha comentários pq não escolheu ficar calado??? continuar lendo

Quem disseminou esse pensamento maniqueísta foi o governo atual.
Minha azia também está crônica. continuar lendo

Bom, CPI tradicionalmente acaba em pizza, esta não me parece ter um fim diferente, ainda mais com políticos da situação e oposição fechando acordos; vamos torcer pelas investigações da Polícia Federal, mas é uma situação absurda, com certeza houve muita roubalheira na Petrobrás, pois era a maior empresa brasileira, e agora é uma das mais endividadas do mundo.
Lamentável continuar lendo

A solução é o povo (nós) irmos para as ruas e EXIGIR mudanças já.
Políticos velhacos (a grande maioria) só entende uma linguagem: Da FORÇA.
DIA 15/11/2014; em São Paulo será na Av. Paulista (Masp), esperamos que no demais estados também ocorra, a participação de todos é fundamental para as mudanças que queremos; Prisão para os ladrões do dinheiro público e MUDANÇAS na política, com o fim da "imunidade parlamentar,fim do foro privilegiado, voto NÃO obrigatório, voto com comprovante emitido pela urna, extinção do Senado Federal,voto distrital, parlamentarismo", e com o fum das regalias aos políticos,afinal o que são políticos senão funcionários a serviço da população? continuar lendo

A Petrobrás é apenas a ponta do iceberg, imagine o que o PT não anda fazendo com a Caixa, BB, BNDES e as outras estatais, pior, bem pior o que será que não faz com ONGS, MST, etc.
Levaremos algumas décadas para saber de tudo o que roubam de nós. Jamais saberemos onde foi escondido e aplicado. continuar lendo

Não ocorreu o tal acordo. Foi mais uma trama do PT. A CPI encerra-se no final do ano, ou seja, já não deu em nada. continuar lendo