jusbrasil.com.br
7 de Março de 2021

Usamos mais o cérebro que as mãos

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 8 anos

Soares Netto

Fazemos menos coisas com as mãos e mais coisas com o cérebro. Assim disse Domenico de Masi numa entrevista da qual resultou o livro O ócio criativo. Afinal, quantos anos passamos tal como osmacacos? Durante milhões de anos o homem vem substituindo a força braçal pela engenharia das máquinas, sejam estas de última geração ou bem rudimentares. Todos que lutam por um espaço no mercado de trabalho, incluindo os concurseiros e oabeiros, claro, buscam por meio dos estudos e da preparação superar a capacidade normal da mente, vencer o adversário não mais a ferro e fogo, flecha ou tiro, mas pelo poder de concentração e conhecimento. Não importa o local que estamos. Sempre é possível conquistar novos conhecimentos. E o descanso? Também é necessário, mas cada um tem sua forma predileta. Como disse certa vez Arthur Rubistein: "Descansar? Descansar de quê? Eu, quando quero descansar, viajo e toco piano."

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)