jusbrasil.com.br
17 de Outubro de 2019

Adote um bandido!

Luiz Flávio Gomes, Político
Publicado por Luiz Flávio Gomes
há 6 anos

Essa é a campanha lançada pela infeliz jornalista Raquel Sheherazade (SBT), depois que um grupo de bandidos de classe média, no Rio de Janeiro, chamados “Bairro do Flamengo”, prenderam, espancaram e amarraram em um poste um jovem “criminoso” ou “possível criminoso” (O Globo 5/2/14, p. 8). Justificativa: o Estado é omisso, a Justiça é falha e a polícia não funciona. Tudo isso é verdade, mas o Estado democrático de direito não permite a “solução” encontrada: justiça com as próprias mãos! Quem faz isso é um bandido violador do contrato social. Quem se entrega lascivamente à apologia do crime e da violência (da tortura e do linchamento) também é um bandido criminoso (apologia é crime). Se isso é feito pela mídia, trata-se de um pernicioso bandido midiático apologético. Para toda essa bandidagem desavergonhada e mentecapta a criminologia crítica humanista prega a ressocialização, pela ética e pela educação.

A ressocialização desses jovens bandidos de classe média se daria por meio de uma marcha da sensatez, em todo país, quebrando tudo quanto é resistência da elite burguesa estúpida, adepta do capitalismo selvagem, extrativista e colonialista, que é a grande responsável pelo parasitismo escravagista assim como pelo ignorantismo do povo brasileiro (em pleno século 21, 3/4 são analfabetos totais ou funcionais – veja Inaf). A ressocialização desta casta burguesa retrógrada passa pelo ensino do elogiável capitalismo evoluído e distributivo, fundado na educação de qualidade para todos, praticado por Dinamarca, Suécia, Suíça, Holanda, Japão, Coreia do Sul, Noruega, Canadá, Áustria etc.

Quanto aos jovens marginalizados temos que distinguir: os violentos perversos, que representam concreto perigo para a sociedade, só podem ser ressocializados dentro da cadeia, que por sua vez e previamente também precisa ser ressocializada, depois de um arrastão ético em toda sociedade brasileira que, nessa área, encontra-se em estágio avançadíssimo de degeneração moral. Em relação aos jovens não violentos, a solução é a educação de qualidade obrigatória, em período integral e em regime de internação, quando o caso. Nenhuma sociedade moralmente sã admite milhões de crianças abandonadas nas ruas!

E quanto à bela jornalista da bandidagem apologética? Eu proponho dar início à sua proposta e gostaria de adotá-la por uns seis meses para ensinar-lhe ética iluminista, de Montesquieu a Voltaire, de Diderot a Beccaria, de John Locke a Rousseau e por aí vai. O que está faltando para toda essa bandidagem nacional difusa é a emancipação intelectual e moral de que falava Kant, que hoje exige uma revolução (da qual todos deveríamos participar) ética e educacional. Temos que romper radicalmente com nossa tradição colonialista, teocrática, selvagem e parasitária, ou nunca teremos progresso (veja Acemoglu/Robinson). Essa é a solução. O resto que está aí é pura bandidagem.

siga meu facebook.com/professorlfg

1048 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Professor, admiro muito o seu ponto de vista mas desta vez terei que discordar do senhor no que tange ao caráter da repórter.
Tudo bem que a atitude dela não foi elogiável, e que ela usou palavras infelizes em um assunto delicado. Mas eu acompanho na medida do possível o trabalho desta moça, e eu sempre a admirei justamente por ela não ter medo dos comentários e também não se apegar e se calar ao politicamente correto.
Na minha opinião ela só falou o que a grande população tem vontade de falar. Todos nós cansamos de ver injustiças, de ver crimes contra inocentes, de ver corruptos livres e cada vez roubando mais, e etc. Consequentemente, estes acontecimentos levam as pessoas a procurar justiça pelas próprias mão, independente das leis e do Estado (omisso, sim) gerando ainda mais injustiças.
Pra finalizar, Diria que os comentário da repórter a médio longo prazo gerarão uma consequência extremamente menor aos telespectadores, do que aos milhões de crianças e jovens que assistem novelas e ao BBB, por exemplo, em horário nobre cuja programação é em grande parte incitação ao sexo, bebidas, drogas em uma banalização enorme da moral e os bons costumes....Enfim, guardada as devidas proporções, as vezes criticamos severamente uma marolinha enquanto há grandes tsunamis causando desastres bem maiores. continuar lendo

Concordo com você, Gasparino. continuar lendo

Gasparino, parabéns pelo comentário continuar lendo

Muito bem Gasparino, concordo!! continuar lendo

O teu comentário é muito melhor que o texto; este é recheado de filosofia que serve mais como demonstração de "status", mas não "agrega valor" no mundo real.

Além disso, como exigir que uma população "analfabeta" deixe de praticar justiça com as próprias mãos se ela não recebe a contrapartida do Estado? É uma via de mão dupla, se o Estado cumprir sua missão, muito provavelmente a população cumprirá a sua parte também.

Não concordo com a violência praticada contra o suposto criminoso, mas é compreensível que ela tenha ocorrido diante da situação de falência institucional vivida em nosso país. continuar lendo

Muito bom Gasparino. continuar lendo

Falou tudo. continuar lendo

Muito bem colocado, Gasparino!

Também admiro o professo LFG, mas certas vezes suas opiniões são ingênuas e irreais. continuar lendo

Concordo plenamente! continuar lendo

Bravo Gasparino.... continuar lendo

Bravo, Gasparino!!! continuar lendo

Muito bom, adorei! LFG deveria rever o seu posicionamento. continuar lendo

É isso aí! continuar lendo

O Sr. Gasparino tem meu apoio! continuar lendo

Parabéns colega, belo comentário. continuar lendo

Perfeito Gasparino!!!! continuar lendo

Gostei Gasparino. Parabéns. Hoje (07.02.2014) também postei um comentário (se quiser ver está em "Fabricio Cruz"). continuar lendo

Concordo plenamente! continuar lendo

Perfeito! Concordo em número, gênero e grau! continuar lendo

Parabéns Gasparino! Chega de hipocrisia! continuar lendo

Concordo com você! E todos - todos - esquecemos por alguns minutos do dia "a la Montesquieu à Foucault", regras de sobrevivência, ops!, de convivência em sociedade. ;) continuar lendo

Concordo, até porque os tempo de hoje são outros. A violência só aumenta e os bandidos são cada vez mais agressivos e desumanos enquanto a legislação segue fraca e omissa, com muita hermenêutica e pouca aplicação. continuar lendo

Perfeito!!! continuar lendo

Excelente comentário Gasparino! continuar lendo

Exatamente Gasparino. Apoio a posição da Jornalista! continuar lendo

Parabens pelo Comentário. A sociedade está farta da criminalidade. Farta também de teorias e proteção à criminalidade, que não levam a qualquer resolução da situação, muito pelo contrário, são apenas teorias, e o que se ve na prática é o aumento indiscriminado da violência, colocando o Cidadão de BEM, refém do Sistema. continuar lendo

Parabéns Gasparino! Belíssimo comentário. Aliás, a proposta da Rachel Sheherazade é muito boa! Ao invés do Estado prender e punir os menores em conflito com a lei, p. ex., poderia simplesmente admitir que militantes de entidades destinadas a defesa dos oprimidos assumissem a custódia destes menores; neste caso o ativista ficaria com a guarda provisória do menor, com o compromisso de compartilhar seu lar, integrando-o à seu convívio familiar, com vista a sua ressocialização. Esta alternativa seria formidável, e coloca o problema nas mãos daqueles que sabem como resolvê-lo. continuar lendo

Devemos respeitar os colegas de outras profissões.....é preciso compreender o real motivo de a jornalista ter dito aquilo.
O debate saudável só contribui para a evolução do pensamento.... continuar lendo

O que a grande parte da população tem vontade de falar é o certo a ser ouvido? continuar lendo

Concordo com vc Gasparino, muito boa sua colocação, principalmente em defesa da Jornalista.
Digo mais, adotar um bandido, no sentido amplo seria trabalhar e investir tempo para tirá-lo da bandidagem bem como ensinando-os o caminho da ressocialização e recuperação de forma prática, não só com palavras que são só palavras. Agora, adotar um bandido ninguém quer, mas adotar a BELA JORNALISTA, aí sim aparecem voluntários. Apesar do comentário infeliz da jornalista, eu prefiro aprender com ela,,, continuar lendo

Muito bem dito amigo. continuar lendo

Gasparino, perfeito! continuar lendo

Eu acho bom adotarem essa posição, acredito que fazer justiça pelas próprias mãos é adequada, por exemplo, se um dos presentes me chatear no trânsito (cortar a frente do meu carro sem "setar", estacionar em local inapropriado em vaga de deficiente e idoso, dá um jeitinho brasileiro pra não enfrentar fila), usarei minha raiva pra externar a verdade de que quem manda é o mais forte, justo porque não somos todos iguais e consequentemente baterei naquele mais fraco que eu, faço valer a diferença natural de todos. (Assinado: Homem Moderno do Século XV). continuar lendo

Com todo respeito ao notável saber jurídico do professor Luis Flávio Gomes, concordo plenamente com seu comentário Gasparino! continuar lendo

Ótimo ponto de vista, concordo plenamente contigo! continuar lendo

Concordo contigo Gasparino. Ela não fez qualquer apologia ao crime ou a exercício arbitrário das próprias razões. O que ela disse é que compreensível que cidadãos tomem medidas desesperadas no intento de resolverem o problema da violência. É igual ao caso onde um pai desempregado e sem qualquer tipo de recurso rouba um frango porque vê seus filhos passando fome. O que ele faz está ERRADO, mas é COMPREENSÍVEL dado ao desespero desse pai. continuar lendo

Parabéns Gasparino, excelentes colocações!!! continuar lendo

Discordo! Jornal e telejornal deve ser lugar de educar e referenciar o que é correto e ético, nunca a quebra de princípios básicos de uma democracia...Aprovado esse tipo de comportamento, esperemos a barbárie e a facilidade de se utilizar um espaço concedido para comunicação para se fazer apologia do crime sem solução prática no futuro.
Também tenho acompanhado esta jornalista e, via de regra, ela 'veste' um personagem midiático em busca de espaço no meio jornailistico televisivo. continuar lendo

Excelente comentário, Gasparino! continuar lendo

Tem razão rapaz, concordo com seu ponto de vista. Esta repórter vem realizando bons trabalhos ultimamente, e este, em comento, mostra o que está engasgado na garganta do povo. continuar lendo

Perfeito, Gasparino! continuar lendo

Parabéns, bem falado! continuar lendo

Muito bem dito... Os pesos e medidas das coisas são diferentes se você é um cidadão de bem pagador de impostos ou se é um marginal delinquente. E o problema não é haver diferenças nessas medidas, o problema é para qual lado essas diferenças pendem... continuar lendo

Perfeito, parabéns! Chega de hipocrisia, ela falou o que está engasgado na garganta de tantos sem voz. continuar lendo

Boooooooooa Gasparino! Isso que chamo de realidade dita, e não de etiquetas que só é pronunciada e não executada continuar lendo

Teu comentário excedeu ao artigo, muito bom!! continuar lendo

Gasparino eu concordo plenamente com cada palavra. Mas aí vc tem que notar que ninguém quer perder a chance de pegar uma "burguesinha branca de classe média" e malhar em praça pública como se fosse um troféu. Ela abusou sim, passou dos limites, mas o ódio contra a fala dela (que teve muitas verdades, apesar de algumas bobagens) são revanchismos, vingança; exatamente o que ela criticam nela. continuar lendo

Gasparino.
Excelente, é isso mesmo. continuar lendo

Você já disse o que queríamos dizer continuar lendo

Gasparino, você foi muito preciso em seu comentário parabéns! continuar lendo

Certinho Gasparino!! Estou com você. Se puder leia minha opinião também. EStou contigo. ALN continuar lendo

De acordo Sr. Gasparino. continuar lendo

Parabéns, Gasparino! continuar lendo

Concordo com você Gasparino.
Estamos vivendo dias tenebrosos,onde não podemos mais transitar com segurança.Todos aqueles que defendem os bandidos que os adote e tente educá-lo para que nós cidadãos de bem possamos viver livres e os verdadeiros marginais presos ou ... continuar lendo

Também concordo, já que todos os contratos sociais foram rompidos a muito tempo. Me parece tarde para a ressocialização de tantos bandidos. Estamos vivendo um estado de guerra urbana, onde trabalhadores são reféns de bandidos, do governo, do capitalismo selvagem. Os direitos humanos devem funcionar como direitos iguais para todos, não só para infratores. Aqueles que cometem delitos, no ato, perderam seus direitos e devem ser afastados da sociedade por quebrarem as regras do contrato social. A incompetência dos governantes que deixaram chegar a esse ponto de omissão nas áreas da educação, saúde, segurança, etc. não pode ser paga pelos cidadãos cumpridores de seus deveres. continuar lendo

Parabéns, Gasparino! Comentário perfeito! continuar lendo

Isso mesmo!!! continuar lendo

Parabéns te expressaste o q a maioria do povo pensa... continuar lendo

Não preciso falar mais nada, excelente comentário, tapa de luva. Admiro o nobre professor, mas ele está utópico demais. Abraços e paz! continuar lendo

Escutei perfeitamente o comentário SIMPLES, SEM RODEIOS E SEM PALAVRAS BONITAS E POMPOSAS desta corajosa jornalista e não vi nenhuma frase que estivesse fora do contesto nesta atual fase deste pais sem ordem e sem lei... Dou total razão às palavras dela e penso que a maioria dos brasileiros pensam como ela, a respeito do CAOS instalado neste pais sem governantes e deste país sem políticos decentes para criarem leis adequadas para que a justiça possa punir a bandidada que pinta e borda, debochando das leis e aterrorizando as pessoas de bem neste país... Precisamos de leis efetivas que protejam as pessoas as pessoas que REALMENTE produzem e GERAM PROGRESSO para este país de políticos corruptos e de mensaleiros canalhas que quando condenados pelo supremo tribunal, não querem ser presos e ainda conseguem arrecadar verdadeira fortuna através de VAQUINHA VIRTUAL para pagar suas multas... é lastimável tudo isto! Valeu jornalista Raquel, FALOU TUDO QUE O POVO TEM VONTADE DE DIZER, PORÉM, NÃO TEM OS MEIOS PARA FAZÊ-LO. continuar lendo

Desculpe, Gasparino, mas a que injustiças e crimes contra inocentes você se refere? Sem dúvida, a morte de um adolescente no portão de casa, durante um assalto ao qual não reage é um crime contra inocente, tão repulsivo quanto aquele que condena milhões de crianças a crescerem em barracos miseráveis nas periferias dos grandes centros, dividindo o pouco espaço com ratos e baratas, ou comendo restos nas lixeiras dos fast foods.
A que injustiças e crimes contra inocentes você se refere? Aos que condenam milhões a uma vida de privação eterna, enquanto dois por cento da população brasileira esbanja 98% do PIB?
Num ponto você tem razão: as vezes criticamos severamente uma marolinha enquanto há grandes tsunamis causando desastres bem maiores. continuar lendo

Concordo plenamente com o comentarista e faço minhas também, as suas palavras. continuar lendo

O cidadão já está cansado de ser refém dessa bandidagem! continuar lendo

Partilho 100% do entendimento do Gasparino e acrescento que esse professor ao que parece vive em outro mundo. continuar lendo

Se alguém está tocando o terror no seu bairro, reagir de forma agressiva se a policia não faz nada, é um ato sim de legítima defesa.

Ou vamos esperar ele matar alguém para fazer alguma coisa? Nessa hora, nenhum ativista de direitos humanos vai querer se meter. continuar lendo

Não achei que as palavras que ela usou foram infelizes. Ela deu a voz a população. Falou o que nós trabalhadores, estamos fartos de saber. Parabéns a repórter pela audácia! Todos esses filósofos e sociólogos são bonitos em teoria, mas já estamos no caos. continuar lendo

Realmente Gasparino, você esta com toda a razão, o tema e delicado, mas, "adote um bandido" vai bem em relação aos menores infratores, 100% intocáveis pelas leis penais, e há quem defenda que não, eu sei que a cadeia é uma medida corretiva, e que o estado é omisso na infância e aquela balela toda, a verdade é que enquanto o estado não acabar com a pobreza, é preciso tomar providências quanto a esses marginais que se beneficiam dessa desordem brasileira, pelo menos esses de agora, certo que a igualdade social jamais vai existir, enfim sem perspectiva. continuar lendo

Concordo com você, em parte! BBB, injustiças... essas coisas estão corretas, é fato! Mas há um problema: E este problema vem de nós mesmo! Nós elegemos fracos representantes. São eles que nos proporciona um dos piores maus do Brasil (corrupção). Alem de está intimamente ligado na inatividade da educação-cultural do país. Este é a base: Educação e cultura. Uma sociedade com estes patamares em alta (Noruega, Japão...) são exemplos para o mundo. Os Congressistas tem que buscar isso. O exemplo que esses paises bem sucedidos nos dão! Quanto à Raquel... Ela pensa como muitos: Bandidos sendo punidos com pancadaria ou com penas altas "se tornaram uma pessoa melhor"... Eu o mesmo que acreditar que um Jumento, com as constantes "porradas" que recebe, irá torna-se um animal inteligente e magnífico. continuar lendo

Muito sensata a sua colocação, Gasparino! Parabéns! continuar lendo

Pra variar, nesse país, qualquer pessoa que tem coragem, porque para tecer um comentário em rede nacional com esse posicionamento é preciso ter coragem pra encarar os fatos de frente. É verdade, a Raquel pode (se é que realmente foi) até ter sido infeliz com algumas palavras. Mas então o que faremos ??? Continuaremos OMISSOS ??? Porque é isso que temos feito. CRITICAMOS sem o menor pudor, qualquer pessoa que TENHA CORAGEM de enfrentar ESSE SISTEMA PODRE. Mostrar indignação com uma JUSTIÇA FALHA, um JUDICIÁRIO VICIADO, e cursos de direito que não querem formar operadores do direito com SEDE de uma sociedade MAIS JUSTA ???? Enfim, que bom que podemos manifestar nossa opinião (com a palavra A CONSTITUIÇÃO). PELO MENOS AINDA PODEMOS FAZER ISSO. continuar lendo

Gasparino, faço minhas as suas palavras. Falou tudo o que o cidadão de bem tem vontade de falar! Parabéns cara! Esse professor aí está com necrose no cérebro. Todo apoio à corajosa jornalista sim!!!!!!!!!!!!!!!!! continuar lendo

Parabéns pelo comentário, concordando plenamente com tudo que você falou. continuar lendo

Sou obrigado, também, a concordar com o Gasparino.
Por que, ao invés de ficar perdendo tempo criticando a moça, alguém não levanta da cadeira e sobe o morro para ensinar ética para os jovens, futuros candidatos ao caminho da criminalidade?
Lei imutável da física.... Lei da ação e reação (no caso, pela omissão). continuar lendo

Estou de acordo com este comentário. continuar lendo

Gasparino, concordo com seu ponto de vista mesmo que seu comentário não esteja tão fundamentado quanto ao do erudito Prof. LFG, a quem, diga-se de passagem, respeito muito. No entanto, há momentos em que, independente do grau de intelectualidade, posição ou status social, pessoas são apenas pessoas, e nesses efêmeros instantes expressam sua indignação mesmo que na prática não o desejassem de fato. Foi isso o que ocorreu com a eficiente jornalista em questão. Em um pequeno momento ela se expressou como uma pessoa simples, do povo, e para o povo. E não acredito que ela esteja incitando a violência, até porque, até que se prove o contrário, é uma pessoa de valores éticos, morais e religiosos. Se com a filosofia do "olho por olho, dente por dente" nós não conseguiremos resolver o problema da criminalidade (e até defendo que não), não será também resolvido com questões simplesmente filosóficas, que permeiam apenas no olimpo das palavras. E o pior de tudo é ver que por causa de uma declaração, talvez infeliz, mobiliza-se órgãos privados e do governo em sede de repúdio, o que não ocorre quando uma dentista é queimada em seu consultório, onde estava trabalhando, porque não tinha muito dinheiro para o bonzinho assaltante. Somente num país HIPÓCRITA é que palavras chocam mais que a ações danosas. continuar lendo

Concordo com Gasparino. continuar lendo

Parabéns Gasparino.....simples assim senhor jurista....coloque a mão na consciência por favor.....precisamos de uma sociedade melhor!!!! continuar lendo

Parabéns amigo pelas suas palavras corajosas. Quanto ao ilustre professor, uma sugestão: Vamos sair da teoria, da beleza dialética, da beleza filosófica e vamos à pratica. Sugiro que o professor adote um bandido, isso vai me proporcionar mais tranquilidade quando sair de madrugada da zona oeste; pegar um trem; depois um ônibus; depois outro ônibus para chegar ao trabalho. Isso vai me dar mais tranquilidade para trabalhar melhor e poder pagar com mais tranquilidade os impostos e poder contribuir com o meu país, para quem sabe um dia estes impostos puderem ser revertidos em escolas, saúde e segurança pública. Por favor, professor, prove que acredita nas suas palavras. Faça isso pela população séria e trabalhadora que não aguenta mais burocratas de plantão... continuar lendo

Sou também grande admirador do renomado Professor LFG, pessoa esta muito capaz, porém, nesta publicação ele demonstrou uma, vamos dizer assim, antipatia gratuita contra a Rachel, e o pior, a chama de infeliz. Todos nós que a vemos e ouvimos a fala desta também conhecida Jornalista, com certeza aguardamos dela ou de seu colega de trabalho, uma opinião sobre este ou aquele fato, e, com certeza tal opinião vem de maneira clara, certa e aceita por 99% da população. O que chama a atenção, é que muitas outras emissoras, ao que parece, está é fazendo um "loob" para tentar pegá-la no contra pé e talvez encerrar tão gloriosa carreira de tão perfeita Profissional que não recua diante deste ou daquele ser. Ela diz o que a sociedade tem vontade de falar e suas opiniões, ainda que alguns não aceitem, pois se sentem ofendidos em suas "dignidades", creiam-me, são dignas de serem faladas e aplaudidas em pé. Que ela e seu colega de trabalho continuem assim, ajudando a formar jovens com responsabilidade, coragem e altruísmo. continuar lendo

Parabéns ao Sr. Gasparino pela participação.
Observo que na busca da paz, preciso que nos preparemos para a guerra.
O professor disse como jurista conceituado que é, e por ser um defensor nato, mas a sociedade está farta de ideologias. continuar lendo

Caro Gasparino, eu iria tecer cometários, mais vou me ater apenas a dizer, faço de suas palavras as minhas, ressaltando minha admiração pelo ilustre Luiz Flávio Gomes. continuar lendo

Concordo nobre colega Gasparino. continuar lendo

Concordo em número gênero e grau, com o seu comentário; e acrescento, o Brasil e os brasileiros estão enjoados dos comentários delirantes de intelectuais que não visam a sociedade como um todo, mas sim, deleite pessoal. O país vive em uma disfarçada guerra civil, entre o estado bandido e a sociedade, com a criminosa omissão do estado legal; e mais, vive uma ditadura civil, sustentada por toda mídia com vultosas verbas do erário, a título de propaganda institucional, ou seja, o Brasil é uma maravilha, na propagando do governo e dos partidos políticos.

Portanto, não lembro de haver visto o seguimento intelectual se posicionando contra esse estado de arbítrio que vem sofrendo o cidadão contribuinte. continuar lendo

Gasparino disse tudo, muito bom! continuar lendo

Gasparino, sua colocação reflete a opinião da maioria portanto parabenizo-o
Do que adianta tanta filosofia num pais que não preza pela educação. continuar lendo

O episódio ocorrido com um menor infrator na cidade do Rio de Janeiro/RJ, que foi amarrado e espancado por populares em razão de vários furtos por ele praticados, foi uma resposta as normas medíocres contidas no já nascido falido Estatuto da Criança e do Adolescente. Dizer que aludido diploma legal vem recuperando menores infratores, sem dúvida, é viver em outro planeta, crer em saci pererê, chapeuzinho vermelho, etc.. Tanto assim, que a criminalidade juvenil há tempos está sem controle. A bem da verdade, sem mais a quem recorrer, vítimas desses infratores principiaram a justiça com as próprias mãos. E quando isso ocorre, é porque a confiabilidade na legislação já foi para o ralo. Governantes declaram na mídia mais e mais reforços policiais nas ruas, como se o policiamento fosse a solução. Pura charlatanice, pois o que controla a criminalidade em qualquer lugar do mundo são legislações rígidas. A questão não é apreender os infratores, pois isso a polícia faz todos os dias, mas sim não devolvê-los às ruas horas depois. No Brasil, ou se fortalece a legislação, ou ainda mais a criminalidade juvenil. continuar lendo

Concordo com você Sr. Gasparino Siqueira Corrêa.

O que está acabando com o Brasil é essa política do "politicamente correto"
não podemos falar mais nada, pois, tudo é errado. continuar lendo

Sob o aspecto ético, que deveria nortear o jornalismo, assim como todas as áreas de aplicação dos conhecimentos humanos, é inquestionável que a razão assiste ao professor LFG em seu desabafo.
Infelizmente, a mídia de baixa qualidade ético-social, mormente a televisiva, não tem nenhum compromisso com a educação dos telespectadores, atuando somente no campo do sensacionalismo pseudo-indignado, de baixo custo e grande retorno financeiro, gerando ótimos índices de audiência, na medida em que apresentadores supostamente furibundos (tudo não passa de um teatro diário) inoculam, pela maneira irada com que se portam, apresentam e tecem opinião sobre a notícia, a peçonha da revolta no coração das pessoas e fomentam disfarçadamente, ainda que alguns até desaconselhem formalmente (apenas para não incidir na apologia ao crime), a atitude de quem está propenso a fazer justiça com as próprias mãos... vide da antena e congêneres... continuar lendo

Gasparino, concordo plenamente com você, disse tudo o que penso. Alem do mais, não podemos ficar presos aos ensinamentos de Montesquieu, Voltaire, Diderot , Beccaria, John Locke e Rousseau, como disse Adriane Alves 'os tempos são outros", o que esses pensadores acreditavam, hoje só serve para passar em concursos e faculdades, é filosofar aos quatros ventos. Não vamos conseguir mudar o estado crítico em que vive nosso País, colocando na mídia programas que ensinam as pessoas a serem mentirosas e agirem com falsidades para se tornarem famosas e ganharem dinheiro corrompendo a ética e moral. Realmente o que eu vejo, é filósofos de plantão dizendo que bandidos são vítimas da sociedade e metendo o pau em pessoas trabalhadoras que estão cansadas da impunidade da justiça brasileira! continuar lendo

Parabéns pelo comentário. Garanto que a imprensa politicamente correta vai acompanhar o caso deste "dimenor" por longo período, assim como já deixará de falar do cinegrafista ferido, vez que não foi "as forças de repressão" que o atingiu. continuar lendo

Concordo plenamente Gasparino. continuar lendo

Parabéns a você Gasparino! Parabéns a Raquel Sheherazade! Quantos bandidos há que são presos muitas 20 vezes e soltos?! Quantos ladrões entram em nossas casas e levam o que lutamos honestamente para adquirir?! Quantos nos violentam e ficamos sem ação? A organização social não é feita para os bandidos e somente são respeitadas pelas pessoas de bem, que não precisa dela, pois já agem corretamente. A pessoa honesta aguenta patrão, desaforos, economiza, tem disciplina então chega um viciado, colocando a vida das pessoas em risco e leva tudo. Que injustiça! Que absurdo o desarmamento! Para os bandidos não há lei, nem estado, nem justiça! Acho justo o que a repórter disse! Ainda é capaz de a pessoa de bem ir para a cadeia! continuar lendo

Excelente comentário. continuar lendo

Prezado Gasparino,

Em resposta ao Professor apena dediquei o título entre Teoria e Prática existem dois mundo, divagar é fácil porém praticar é outra coisa. Seu texto é o que na prática a grande maioria pensa, questionar a jornalista e apenas mostrar um lado teórico filosófico que nada agrega ao simples cidadão, é apenas incitar ainda mais o caos já instalado. continuar lendo

Estamos juntos Gasparino!
A inércia do Estado chegou no limite quanto às vulgaridades e imoralidades.
Os cidadãos vão ter que começar a fazer a sua vez na segurança pública e na justiça. Pau na bandidada.
É uma pena eu ter que falar assim, mas o nosso país não está preparado ainda para o contrato social formulado por Rousseau. continuar lendo

Prezado Gasparino

Mais um - muito bem - aos 194 votos até o momento. Passei a seguir vc neste site.

Abraços continuar lendo

Como se o mal menor fosse aceitável, e essa escala é uma avaliação pessoal, o que é mal maior pra um pode ser menor para outro. Acontece que essa senhora Rachel demonstra cabalmente que ou é uma despreparada ou é apenas um pau mandado, não é a primeira vez que ela fala assuntos cruciais sem a devida capacidade para tanto, ela já pisou na bola outras tantas vezes. Pra não dizer que é uma fora da lei ao apoiar a barbárie em rede nacional, é uma no mínimo INCOMPETENTE. continuar lendo

Incrível Gasparino, concordo!
Acho a postura dela verdadeira, de quem tem sangue nas veias e está cansado da omissão sem tamanho do Estado. continuar lendo

Louvável seu comentário Gasparino. Parabéns! continuar lendo

Concordo, Gasparino, com suas palavras bem colocadas. Acho que conseguiu expor muito bem que a Jornalista apenas disse o que a maioria das pessoas querem falar ao ver nos noticiários agressões que ficam impunes. Também concordo que muito mais do que as palavras da Jornalista, a programação diuturna, especialmente das redes de canal aberto, disseminam a "banalização do mal" com requinte de crueldade e de técnica. continuar lendo

Achei seu comentário uma ofensa. Sem dúvida um posicionamento baseado em achismos e sentimentos de impunidade, o que eu não posso desmerecer. Isso porque vivemos numa sociedade onde essas sensações estão em nosso cotidiano, principalmente quando, ao acessarmos qualquer meio de informação, deparamos com mídias sensacionalistas e que se debruçam em violências que, diga-se de passagem, são fatos isolados.
De qualquer forma, acho muito importante rever sua posição, mas acredito não vermos algo brilhante, isso porque me parece ser uma pessoa que age muito com a emoção, quando a solução seria utilizar a razão. continuar lendo

Perfeita colocação!
Enquanto eles se auto-mutilam, criticam os que não querem se mutilar! continuar lendo

o problema é bem esse: ela fala o que a maioria do povo gostaria de falar; a maioria do povo desconhece o Direito e não pensa nas consequências de atitudes como essa caso ocorram com mais e mais frequência. se isso já acontece sem muito incentivo (além do que já temos do diaadia) imagina com o aval da "ilustre jornalista". e pra admirar por falar o que pensa, sou muito mais a Dercy Gonçalves. continuar lendo

Na verdade palavras bonitas não funcionam,estamos cansados de sermos roubados,mortos e ninguém faz nada de efetivo. continuar lendo

Concordo plenamente! continuar lendo

Você falou tudo, também tenho acompanhado o trabalho dessa reporter e ela tem ganhado minha admiração, são poucos os que tem coragem de expressar opiniões como ela tem feito. continuar lendo

Boa tarde,

Não considero infeliz o comentário da jornalista. Segue sua defesa:
"O que eu fiz não foi defender a atitude dos justiceiros, nem precisaria estar explicando isso, minhas palavras foram muito claras no meu comentário, o que eu defendi foi o direto da população de se defender quando o estado é omisso, quando a polícia não chega. Isso está na lei: todo cidadão tem o direito de prender o meliante flagrado em delito. O que não se pode fazer é confundir o direito de se defender com barbárie, a violência pela violência. Isso jamais qualquer pessoa de bom senso poderia defender, e essa pessoa não fui eu, não defendo a violência, defendo a paz, o bem e a segurança. Acho que todo cidadão tem que ter direito à segurança, é isso que falta nesse País".

Todos somos literalmente contra à violência, mas estamos literalmente desesperançosos com o Estado, o qual presta precariamente os serviços básicos, dentre eles a segurança pública. Sou totalmente contra o espancamento, porém ao prender o marginal em fragrante delito, exerceram sua cidadania e fizeram o papel do estado. continuar lendo

Exatamente e o que o Estado esta promovendo é justamente o surgimento epidêmico de grupos de justiçamento. A sociedade não suporta mais ser vítima de bandidos sempre bondosamente amparados pelo Estado paternalista que assola o cidadão de bem com impostos escorchantes. continuar lendo

É inacreditável como esses defensores do Direito Penal Mínimo continuam a querer nos impor sua ideologia falida...Não entendem o erro absoluto de sua teoria que, na realidade, nada mais é do que uma versão atualizada da teoria rousseauniana do "Bom Selvagem". Para esses, o criminoso é - como homem - "naturalmente bom", corrompido pela "sociedade capitalista", necessitado de "ressocialização".......Certamente não entendem dois fatos essenciais da vida:

a) o Homem da realidade nunca teve nada a ver com o "Bom Selvagem" de Rousseau, aliás, as utopias construídas sobre esta hipótese fracassaram miseravelmente (como, pe. ex. o socialismo);

b) o Homem é naturalmente um ser egoísta, agressivo, invejoso, cobiçador, preguiçoso, covarde, leviano, impulsivo ("O Leviatã", Thomas Hobbes);

c) a fim de garantir a ordem e manter "a todos em respeito (Hobbes)", faz-se necessário um sistema penal eficiente, que imponha penas rigorosas a quem infringir a lei;

d) a gravidade da lei, sua violência e crueldade, são imprescindíveis, porque só assim se intimida os criminosos, mesmo os mais violentos (a idéia de que a gravidade da pena não intimida é uma falácia que foi desmontada pelo Prêmio Nobel Gary de Becker em sua obra "Crime and Punishment: An Economic Approach".
A conclusão inescapável é que o único caminho para vencer o crime e a violência é aquele adotado pelos EUA: penas severas, mesmo para delitos "menores", sistema processual eficiente e rápido, polícia honesta e equipada. O resto é empulhação ideológica. continuar lendo

concordo plenamente contigo.....acho que essas pessoas que julgam ser o exper deveriam passar por que muitos pais e mães passam (filha estrupada ...sua mulher violentada na sua frente..... um menor dá um tiro em sua mãe dentro do carro,te levar num caixa eletronico e sacar o que podem.... ai sim iriam falar que esses bandos de vagabundos são apenas adolescentes ... muitos de 1.70mts de altura.....certos do que fazem pois no brasil.... a única coisa que dá cadeia e pensão alimenticia. continuar lendo

Concordo com todos os termos. continuar lendo

Perfeito, meu amigo! continuar lendo

Isso ai, excelente comentário. continuar lendo

Eu quis me referir a sentença! continuar lendo

Comungo com suas palavras! Um país com uma educação precária não poderia ter um código penal assentado na intervenção mínima ao patrimônio jurídico das pessoas, como na Europa! E mais! É público e notório que as cadeias no Brasil não ressocializam ninguém! Quanto ao nosso sistema penal, permita-me adotar os ensinamentos do mestre Barroso: "Minha posição é a seguinte: o sistema punitivo no Brasil - aquele que começa no inquérito policial, passa pela denúncia do Ministério Público, o julgamento pelo Judiciário, a execução penal e o sistema penitenciário - está desarrumado. Está desarrumado do ponto de vista doutrinário, normativo e filosófico. E isso se manifesta na jurisprudência, que passa sinais contraditórios para a sociedade. A sociedade brasileira não está satisfeita com esse sistema. Não se trata de se ter uma posição punitiva ou garantista, mas de se desenvolverem bases comuns de argumentação, à luz de princípios e fins adequadamente debatidos e definidos. Quando pessoas esclarecidas e bem-intencionadas divergem na profundidade verificada nesses episódios invocados pelo nosso Presidente da OAB, é sinal de que falta um denominador comum que propicie a interlocução construtiva. Conflito é falta de interlocução. Pois bem: precisamos repensar e reconstruir esse sistema, levando ao debate público a definição de um modelo de Direito Penal, de processo penal e de execução penal que possa servir adequadamente ao Brasil". continuar lendo

O problema é que os EUA não conseguiram vencer o crime a violência. E outros países que seguiram o caminho inverso hoje possuem níveis excelentes. continuar lendo

É isso aí, meu caro Alessandro. Parabéns pelo seu comentário. Além de culto é inteligente. continuar lendo

Concordo, com um senão. No Brasil e na maioria dos países só os crimes cometidos por negros e pobres são importantes, os crimes que levam uma população inteira a miséria e falta de condições mínimas de existência não são considerados crimes graves. continuar lendo

E ouso acrescentar a falácia envolta no argumento "casta burguesa". Que burguesia? Aquela que enche os cofres públicos com dinheiros dos impostos? Aquela que vê esses dinheiros serem usados para tudo, menos para fomentar uma educação básica, gratuita, universal e de qualidade? Colho, do fato concreto, a prova cabal de que falta educação para agressores e agredido. E recolho, dos comentários, o excesso de informação cultural que, renitente, continua se afastando da solução maior dos problemas concretos, qual seja, a de exigir que o Brasil tenha uma educação básica gratuita, universal e de qualidade. continuar lendo

Não há necessidade de colocar uma vírgula no seu comentário. Parabéns. continuar lendo

Muito Bom!!! Infelizmente querem criar um Brasil complacente. Damos a mão à palmatória internacional cujo lema é fazer do ser humano mais individualista. continuar lendo

Concordo plenamente. A cada 4x que respiro, 1x é para pagar impostos. A cada dia me sinto mais presidiário do que cidadão. Não posso sair a noite, andar de carro, de onibus, cinema, teatro... com a certeza de que retornarei para casa. Pois vivemos em uma guerrilha urbana. Não sei isso se percebe nos condomínios, mas fora deles sim. Ou seja, vivo para sustentar "uns pobres meninos" que não tiveram oportunidades de estudo e por este motivo matam sem pestanejar porque são 100% impunes. Experimentem segurar pelo braço qualquer um deles que a resposta será "ih cara sou dimenor não vai dar em nada não". E não acontece nada mesmo...

Se puder me responder eu agradeço.
Porque existe maioridade penal aos 18 se aos 16 eles já podem eleger um presidente?
Porque eu sou forçado a sustentar um presidiário com o meu trabalho e ele não pode ser forçado a trabalhar? Além de ser roubado, torturado, humilhado e morto, tenho de sustentar?

Só uma situação...
Se um ladrão invade minha casa, mata minha família, rouba e foge, será mais um caso latrocínio provavelmente sem solução. Mas se eu tiver o azar de conseguir dominar o ladrão, retirar a arma, e dar 2 tiros à queima roupa serei facilmente encontrado (residencia fixa), preso e responderei a processo penal por homicídio e provavelmente serei preso. Ou seja, hoje em dia acho mais prudente segurar a arma pelo cano e pedir ao meliante, "mata mas com carinho pois apenas faço parte da manada de brasileiros que humildimente pagam impostos".

Nobre professor, o dia em que a criminalidade perceber que tem mais poder do que o poder público e começarem a eliminar os obstáculos (como na Itália), aí sim teremos leis e regras que fortaleçam o povo que não aguenta mais tanta gente enfiando a mão nos nossos bolsos para nada. continuar lendo

Excelente colocação continuar lendo

Comentário perfeito e mais que oportuno. Nosso país precisa acordar. continuar lendo

Falou tudo, muito bom! continuar lendo

Te respondo essa... Você já sabe que uma pessoa de 16 anos pode escolher seu representante. Mas a pergunta que eu te deixo é a seguinte: Eles sabem fazer isso? A população brasileira sabe escolher seus representantes? Me diga isso com base nos fatos, por favor.
Acho que, analisando isso, não consigo dizer que usou um bom argumento.
De qualquer forma, não adianta mais bater na tecla sobre a diminuição da maioridade penal, isso porque é clausula pétrea que um direito outorgado pelo estado, jamais poderá ser retirado. Logo... continuar lendo