Carregando...
JusBrasil - Artigos
20 de dezembro de 2014

Justiça com as próprias mãos

Publicado por Luiz Flávio Gomes - 10 meses atrás

LEIAM 124 NÃO LEIAM

O termômetro da nossa insanidade coletiva, incluindo os setores radicais da mídia, está subindo, paralelamente à violência desbragada. Onde falta ética e educação de qualidade, ou seja, um bom IDH (índice de desenvolvimento humano), sobra a marcha tribal da insensatez. Em ano eleitoral, é de se imaginar que o clima quente da reação emotiva contra a violência, tal qual o do verão, vai bem longe. O Brasil continua na contramão da história civilizatória.

Está chegando a conta dos 514 anos de colonialismo teocrático (herança maldita), autoritarismo (arquétipo do Pai), parasitismo dos dominadores (escravidão, corrupção e neoescravidão), selvagerismo (violência epidêmica), ignorantismo (3/4 da população é analfabeta ou semialfabetizada – ver Inaf) e segregacionismo (apartheid sócio-étnico-econômico). Guerra de todos contra todos (Hobbes), que esquenta mais ainda quando bandidos das classes de cima passionalmente (Durkheim) se igualam à violência dos marginalizados perversos (por meio da justiça com as próprias mãos ou dos linchamentos, não autorizados pelo “contrato social”). De acordo com os indicadores socioeconômicos do Brasil, há um exército de milhões de jovens sem trabalho, sem estudo e sem estrutura familiar ou social solidificada (nem, nem, nem). São rejeitados por todos, até mesmo pela “ralé”, que é a classe D.

Nosso estágio de desigualdade socioeconômica (a melhora dos últimos anos foi totalmente insuficiente) e de degeneração moral coletiva chegou ao fundo do poço. Enquanto não rompermos a herança maldita da nossa estúpida, corrupta e violenta colonização, não vamos nunca sair desse atoleiro sanguinário e parasitário comandado pelas elites burguesas do capitalismo extrativista e selvagem. Só existe um caminho para a ruptura: ética e educação de qualidade para todos, tal como fizeram, depois de muita luta do povo, os países do elogiável capitalismo evoluído e distributivo (Dinamarca, Noruega, Suécia, Japão, Coreia do Sul etc.).

Educação civilizatória obrigatória, em período integral, promovendo-se assim, finalmente, nossa primeira grande revolução! Temos todos, ricos e pobres, o dever imperativo categórico (Kant) de levantar essa bandeira. Os 47 países com melhores IDH do mundo têm 1,8 assassinatos para cada 100 mil pessoas. O Brasil, com IDH ridículo para sua riqueza, é o 16º país mais violento do planeta, com 27,1 assassinatos, por 100 mil habitantes, em 2011. Enquanto não radicalizarmos no sentido da educação universal e da melhora substancial da renda per capita do povo que trabalha duramente, só resta ir contabilizando os “cadáveres antecipados”, a ira, o ódio, a insatisfação e a indignação massiva (que são os ingredientes de uma estrondosa revolução que ainda não ocorreu).

Curta minha página no facebook.com/professorlfg

Luiz Flávio Gomes

Luiz Flávio Gomes

Professor

Jurista e professor. Fundador da Rede de Ensino LFG. Diretor-presidente do Instituto Avante Brasil. Foi Promotor de Justiça (1980 a 1983), Juiz de Direito (1983 a 1998) e Advogado (1999 a 2001). [ assessoria de comunicação e imprensa +55 11 991697674 [agenda de palestras e entrevistas] ]


159 Comentários

Faça um comentário construtivo abaixo e ganhe votos da comunidade!

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;)
Edgardo Zapata
32 votos

Não é insanidade coletiva: é desespero de causa, é insatisfação, é não aguentar mais corrupção, nepotismo, falcatruas, conchavos, mensalões, esquemas, fraudes, roubos, falta de vergonha na cara, de honestidade, falta de hospital, de segurança e de justiça. É saco-cheio desse governo (com minúscula, sim, Senhor !!!) que está ai só para fazer roubar, embrutecer e empobrecer.

A mídia faz o que sempre soube fazer: estardalhaço para vender mais jornais ou ter mais audiência, mas infelizmente ela é a nossa última garantia de que o governo não roubará ao seu bel-prazer sem que a Imprensa Livre (com maiúscula, sim, Senhor !!) noticie e nos faça ficar sabendo disso. A nossa última esperança de que algo seja feito, infelizmente é a Imprensa Livre !!!! Veja-se os maus exemplos da Venezuela e a Argentina e a draga que estão esses países, e a sua perseguição à Imprensa e à oposição.

O Colonialismo Teocrático não é “uma herança maldita”, pois se fosse feito por pessoas que realmente tivessem Deus no coração, não estaríamos nessa tristeza de país que é hoje o Brasil; acontece que a colonização foi feita “em aras” da Teocracia, mas na verdade foi roubalheira o que nos legaram, desde a colonização. Austrália foi colonizada por presidiários e proscritos; nós por teocratas. Veja-se a diferença !!!! Não é a corrente filosófica a que conta e sim a qualidade dos homens.

A culpa não é da nossa colonização, pois assim ficaria fácil nos eximirmos de responsabilidades atualmente, culpando gente que há 500 anos está morta, e perdoando os nossos atuais governantes que só fazem roubar, cobrar impostos, roubar, matar a população na fila do SUS e de seca no NE, roubar, nos ridicularizar e rirem nas nossas caras com “iniciativas brilhantes” como o Mais-Médicos, exame de câncer para apenas uma mama (que é como fazer alinhamento e balanceamento em apenas uma roda do carro !!!!!!!!!!!), roubar, e...ah !, roubar, e todas essas coisas que não se vêem em países sérios.

Aqui não tem “elites burguesas” culpadas de tudo; temos governo ladrão culpado de tudo, isso sim. Tira esse elemento da equação e verás como fica mais fácil a vida dos empresários produtivos e pagadores de impostos !!!!
E não esquece que o governo é um mero SERVIDOR DO POVO, PELO POVO E PARA O POVO, que pode ser destituído ao menor sinal de incompetência, indolência ou corrupção. Concordo com: a saída é a ética e a educação de qualidade, mas até lá, a saída é cadeia e seqüestro dos bens dos políticos corruptos. Medida de emergência; é operar ou morrer !!!!! E essa “estrondosa revolução que ainda não ocorreu”, pode estar prestes a acontecer......

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Mario Veloso
11 votos

Edgardo Zapata
Não é insanidade coletiva: é desespero de causa, é insatisfação, é não aguentar mais corrupção, nepotismo, falcatruas, conchavos, mensalões, esquemas, fraudes, roubos, falta de vergonha na cara, de honestidade, falta de hospital, de segurança e de justiça. É saco-cheio desse governo (com minúscula, sim, Senhor !!!) que está ai só para fazer roubar, embrutecer e empobrecer

PERFEITO SEU COMENTÁRIO !!!!!!

INFELIZMENTE ESTE É O GOVERNO QUE MERECEMOS !!!!!!
Nossa sociedade é corrupta !!!! salvo raríssimos personagens.
é a cultura do nosso povinho. POVINHO; SIM !!!!
gente que nunca poderemos tratar, e eles reconhecerem como CIDADÃOS.

Fernando Jorge da Rocha Junior
6 votos

Sr Edgardo, exatamente isso. O povo não aguenta mais tanta iniquidade e impunidade. Nós vivemos num Estado de Direito, mas não vivemos num estado de JUSTIÇA. Chega um momento em que a ausência do Estado não é mais suportada. É o que assistimos agora. E continuem a votar nessa turminha para ver onde chegaremos....

Euclides Sampaio Januario
3 votos

ÓTIMO COMENTÁRIO DO SR EDGARDO ZAPATA. O problema do socialismo de esquerda é que se fundamenta nas ideologias humanas, que se deterioram com o tempo por serem artificiais. Cada vez que alguém faz uso dessas teorias deixa fluir acima de tudo suas frustrações e recalques. No mundo há possibilidades em todas as esferas de se usar condições naturais. Isso requer aceitação acima dos interesses, e respeito às tradições, que resulta em entropia sociológica.. É a condição desejável do ser humano, que resulta em equilíbrio, Tão harmonioso é que dispensa defesas...

Ademir Galante
3 votos

Palavras que queria ter dito, para poder pelo menos desengasgar só um pouquinho.

Parabens,

Fabio F Fernandes
2 votos

Como Sr. Luiz Flávio Gomes não permitiu meu comentário anterior, só me resta parabenizá-lo pelo comentário, Sr.Edgardo Zapata!

Gleida Garcia Mendonça
2 votos

Parabens , não e insanidade e defesa ,ja que o estado pagamos e não fazem nada pra nós defender.

Reili Sampaio
2 votos

PERFEITO, sr Edgardo. Aplaudo de pé! Seu comentário deveria ser o texto principal e, o texto principal, um mero comentário. Meus parabéns.

Stefano Lopes
1 voto

Parabéns pelo comentário, nem deixou espaço para falar mais.
Só pra não perder a viagem...mais uma da Pátria dos Coitadinhos.

Homero Sampaio Baitala de Oliveira
1 voto

Muito bem colocado Edgardo.
Acrescento, ademais, que na esteira prática de nosso país, em que os policiais não podem agir para não atingirem os Direitos Humanos do bandido e serem processados disciplinarmente e até civil e penalmente, vê-se que é o caso da aplicação da pena de morte em larga escala aos chefes de facção criminosa.
Fuzilamento neles.
Depois de feita a limpeza vem sim o investimento maciço em políticas públicas racionais e eficientes. daí sim educação de qualidade e tudo mais.
no presente momento não surtiria efeito qualquer.
Muitos inocentes continuam sendo vitimados pela criminalidade.

Anderson Morais
1 voto

O desespero também pode ser uma reação insana...

Paulo Wodzik
1 voto

Homem do Bem e que tem "Deus no coração", coloque seu nome a disposição nas próximas eleições para Presidente da República, pois você deve saber bem o que deve ser feito para melhorar a sociedade. Vou fazer campanha para você. Se não puder se candidatar e estiver cansado do ônus da Democracia, então só resta a volta da Ditadura Militar. Mas pense bem, acima de tudo, nesse caos da Política que é descrito, acumularás muita energia para superar grande diiculdade, ou pressão em sua vida , tirando disso mais força e aprendizado, situação de que pouco usamos, e nosso verdadeiro potencial. Isso é resilência, e tu podes dar isso a Deus também, pois como ele sendo criação de tua mente, aplacará teu desespero e indignação.

Bruno Tanaka
14 votos

Gostaria de compartilhar minha humilde opinião.

Concordamos que existem e sempre existiu coisas a melhorar, porém sabemos que essas melhoras exigem um esforço de todas as partes e fatores afetados.

Por exemplo: Não adianta os estudantes ficarem em período integral dentro de uma escola, sem estrutura, sem professores de qualidade, alimentação, segurança e acima de tudo educação de verdade! Para essa mudança, deve haver muitas outras para que o objetivo seja conquistado.

O que gostaria de dizer com isso, é que uma mudança que talvez pareça simples, não seja o que aparenta. Mas que os esforços que qualquer mudança para melhor exigir, deve ser enfrentado pelo povo, por todos nós.

Lamentável é nossos representantes não estarem dispostos a fazer esforços para melhora do país e pensam no seu próprio benefício individual, ou seja, em ganhar dinheiro, poder, e vantagens sobre seus próprios seguidores, seus apoiadores, seu povo.

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Glaucia Camperlingo
1 voto

Continuamos a esperar que os "papais" políticos nos presenteiem com a mudança. Temos TODOS que fazer essa mudança. É trabalho para toda a sociedade. Começando por aceitar as raízes do mal e ter boa vontade para mudar essa realidade, sem egoísmo.

Milton Kawatak

Glaucia, concordo totalmente.
¨¨¨¨A administração de um país é parecido com condomínio, por ex.
¨¨¨¨Todos reclamam dos síndicos, mas alguém se candidata mesmo tendo desconto no valor do condomínio ou outro benefício qualquer?
¨¨¨¨Normalmente os candidatos que aparecem são para tirar proveito próprio e conseguem isso por que?
¨¨¨¨Porque a maioria se omite pois sabem que vai ouvir um monte de críticas por fazer e deixar de fazer. Se fosse bom mesmo todos os moradores disputariam a tapa o cargo. E se você não cuida do que é seu ninguém o fará no seu lugar.

Misael Gomes Santos

Fala-se tanto em relação aos nossos representantes que esquece-se do fato de que eles são nada mais do que representantes. São pessoas que saem do nosso seio, são como nós; sem tirar nem por. A ínfima diferença é que por algum motivo estão lá, e qual seria? São corruptos como o povo é. Só pensam em levar vantagem assim como todos. Não perdem a oportunidade, como qualquer um de nós não perderíamos. Não são seres de outro planeta! São como nós - repito. Como os que adoram um jeitinho para tudo, desde as mínimas coisas, as quais sim, vêm de berço, de berço lusitano, entranhado em nossas veias. Aceitem isso quem quiser. Nosso defeito é de fábrica. Digam-me um país que foi colonizado por Portugal que hoje reina como "primeiro mundo", apenas um?
Qunado falamos dos políticos como se falássemos de outros seres, penso que às vezes, só falamos, mas que em seus lugares, agiríamos da mesma maneira, tal e qual.

Bruno Tanaka

Misael Gomes Santos

São pessoas como nós? Será? Ou a maioria de nós não é patriota, aceita vantagens ao invés de trabalho digno, de respeito, honra, dignidade?

Não podemos ver isso de forma generalizada, pois se isso acontecer, estaremos aceitando e deixando a guerra para render-se aos poderes maiores da corrupção. Seria vergonhoso.

Entendo sua opinião, porém não posso concordar que todos somos assim, que é de berço, histórico ou cultural. Existem homens que querem lutar, porém sem o apoio do povo não chegam a lugar algum.

Um sistema foi plantado em nosso governo, é coisa antiga, que cheira mal, que tem força de se reajustar a qualquer mudança, um sistema fraudulento, corrupto e egoísta. Não basta apenas eu ou qualquer pessoa chegar aqui dizendo os erros, denunciando as fraudes, sem o apoio da maioria o sistema ganha, sem a luta de todos, um homem apenas não é capaz de ganhar uma guerra.
Nosso problema está no conformismo, na fraqueza e aceitação. Não lutamos e quando fazemos essa proeza, nos contentamos com pequenas mudanças, as quais já disse que não resolve. O problema deve ser sanado desde a raiz, luta de anos, talvez décadas, mas que nossos herdeiros agradeceram por esta luta, pelas mudanças, pela vida, talvez com um pouco mais de paz, segurança, harmonia e com um estado que trabalhe pelo seu povo. Por fim repito, não vale um homem ir a guerra contra um exercito. Mas vale que este homem, lute com esperanças de que outros seguiram a mesma jornada para um dia quem sabe, todos lutarem juntos por um bem comum.

Renan Oliveira
4 votos

LFG, porque você anda de carro blindado então? É muito fácil falar quando se tem todo um aparato para defender-se. Leva para casa!

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Flávia de Oliveira Costa Andrade
3 votos

Infelizmente boa parte da população brasileira estimula o "Desacreditar do Estado Democrático de Direito" para defender o linchamento de criminosos e/ ou menores delinquentes. Como se a autotutela fosse o melhor caminho para solucionar os problemas da sociedade. E o pior, quem levanta a bandeira contra esse tipo de comportamento, escuta coisas do tipo : " Tá com dó do bandido, então leva para criar em casa". Poucas pessoas refletem como se deu a passagem do homem do estado da natureza para o estado civil, quem defende o estado de guerra não tem conhecimento na causa, creio que não teve acesso a ciência política, filosofia, sociologia entre outras ciências, e principalmente a educação de civilidade, que é aquela que vem de berço e não com os livros... Enfim, temos um Estado, ele é omisso, mas nem por isso as pessoas têm o direito de ser selvagem. O homem selvagem é entregue pela natureza unicamente ao instinto, por faltar faculdades de racionalidade. Segundo Rousseau, o homem em seu estado de natureza vivia isolado nas florestas, em total liberdade como seres iguais, não tendo capacidade de se distinguir de outro ser humano, essa distinção requer a capacidade de abstração, habilidade esta que ainda não possuía , mantendo perfeito equilíbrio com a natureza e o ambiente, pois sabia reagir e se adaptar à natureza e às suas exigências sobrevivendo com o que ela oferecia. O homem civil criou o Estado, as leis civis, os costumes, a cultura, criou o pacto de submissão a vontade geral. E o Estado por mais omisso que seja não pode permitir que a vontade geral, a vontade da sociedade seja guiada pelos instintos animais que habitam dentro de cada pessoa, não se pode permitir que a vontade geral seja contrária a lei. o Estado de Natureza não é o mais propício para a vida em sociedade, não podemos estimular o rompimento a racionalidade e nos entregar aos instintos.

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar
Fabio F Fernandes
2 votos

Bonita retórica, Flávia. Mas o contrato não está sendo rompido quando o Estado se torna omisso e rouba? No outro extremo dessa linda história temos a tirania. Vc prefere a base teórica que leva a um futuro de tirania para os que estão chegando ou escutar um pouco a voz da população que grita por justiça de forma caótica, desordenada e contra os princípios filosóficos e da teoria política, mas que faz barulho e expõe a fragilidade do nosso Estado? É expondo essa fragilidade nos meios que se pressiona quem espera quatro anos se passarem pensando em como vai ganhar dinheiro!
A retórica é correta para situações ideais. Não vivemos uma situação ideal e precisamos reverter!

Esio Sardinha de Souza

Não tem mais como discutir se as pessoas tem o direito de serem selvagens ou não. Sabe porque? Porque elas já estão selvagens e isso é uma realidade.

Salvador Correia Filho

Dra. Flávia, com todo respeito, o Estado não é omisso, mas sim os governantes. Dizer que o Estado é omisso é generalizar, é dizer que TODOS nós aceitamos as coisas como elas são e sem nada fazer. Paira uma diferença gigantesca entre vítima >>>ESTADO e GOVERNO <<< infrator, este sim é omisso.

Rômulo SDG
3 votos

O Brasil tem 50.000 brasileiros assassinados (números oficiais) todos os anos e o Luiz Flávio Gomes vem fazer uníssono com a grande mídia chapa-branca pra chorar os narizes quebrados de três ou quatro delinquentes.

"Insanidade coletiva", meu filho, é você, a mídia e a maior parte da classe jurídica do país não dar um pio sobre os números da violência brasileira, piores do que as guerras deste século.

10 meses atrás Responder Reportar
Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;) Cancelar

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://professorlfg.jusbrasil.com.br/artigos/113024710/justica-com-as-proprias-maos